RCB/TuneIn
Quarta, 26 Fev 2020
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
“DOIS PLANOS INOVADORES”
Rádio Cova da Beira
A câmara da Covilhã vai apresentar em breve os planos municipais de igualdade de género e de combate contra a violência doméstica. O anúncio feito por Vítor Pereira na sessão pública de apresentação do livro “A Mulher Transparente”, da autoria de Ana Cristina Silva, que decorreu na sede ada associação “Coolabora”.
Por Nuno Miguel em 31 de Jan de 2017

De acordo com Vítor Pereira “são dois importantes documentos de trabalho que tem como grande objectivo a promoção da igualdade na cidadania e, ao mesmo tempo, prevenir e combater a violência doméstica. São dois planos inovadores no concelho da Covilhã que estamos agora a desenvolver e espero, tão depressa quando possível, que eles possam ser discutidos e aprovados para depois serem implementados”.

Lançado inicialmente em 2003, este trabalho foi agora reescrito por Ana Cristina Silva para abordar uma problemática que originou a morte de 400 mulheres em Portugal, vítimas de agressões dos companheiros entre 2004 e 2014. Um livro onde a autora procura narrar a luta esgotante das vítimas pela sobrevivência “a história de cada mulher espancada comporta uma luta esgotante para sobreviver. E o desespero é tão intenso que muitas vezes não se vê uma maneira de encontrar salvação e por isso o fim que eu dei a este livro, que é um fim que não acontece na maioria dos casos, porque as pessoas que são agredidas durante um determinado período de tempo precisam de justiça e de uma fantasia retaliadora. E foi isso que esta vítima fez”.

Também presente nesta cerimónia, a secretária de estado da igualdade destaca a mensagem transmitida do desequilíbrio nas relações de poder que acaba por originar situações de violência. Catarina Marcelino sustenta que “é um livro muito interessante, duro na imagem que mostra na violência mas a vida da Clara, do Meireles e do Daniel está aqui dentro destas páginas e mostra bem o que é a violência. Esse fenómeno acontece porque há um desequilíbrio de poder entre quem agride e quem é agredido e onde se olha para a outra pessoa como um objecto. Este livro mostra isso com clareza”.

Já a presidente da associação “Coolabora” refere que a igualdade de género continua a ser o grande desafio que se coloca para operar uma mudança de mentalidades da sociedade. Graça Rojão afirma que esse caminho deve ser percorrido a par com outras iniciativas “quando queremos combater a violência doméstica e contra as mulheres, isso faz-se prevenindo com as campanhas que se desenvolvem nas escolas, com o trabalho de proximidade e com a legislação mas também com a defesa da igualdade de género. Esse é um dos maiores desafios que temos hoje em termos de defesa dos direitos humanos porque é aquele que é mais transversal e que atinge metade da população do mundo. É importante manter sempre esta questão em cima da mesa uma vez que um combate se faz com o outro”.

  Redes Sociais   Facebook

2007—2020 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados