RCB/TuneIn
Quarta, 23 Ago 2017
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POLÍTICA
PENAMACOR: SALÃO PAROQUIAL À ESPERA DE MELHORES DIAS
Rádio Cova da Beira
A câmara municipal de Penamacor afirma que para a concluir as obras do salão paroquial da vila são precisos 500 mil euros. De acordo com o presidente da autarquia, sem financiamento o processo, que se arrasta desde 1999, não avança "porque a câmara não tem o valor monetário necessário".
Por Paulo Pinheiro em 26 de Jan de 2017

Em Outubro de 2014, o presidente da câmara municipal de Penamacor socorria-se de um adágio popular para classificar a situação "pau que nasce torto, tarde ou nunca se endireita". Em Fevereiro de 2015, António Beites, anunciava que pretendia concluir as obras o mais depressa possível" num processo que muitos penamacorenses classificam como a obra de Santa Engrácia. Em 2017, o autarca admite não ter dinheiro para fazer a obras. É o salão paroquial da vila, que em tempos recebeu teatro, cinema, sessões de esclarecimento, cujo objectivo era transformá-lo no Centro de Congresso Ribeiro Sanches.

 

Passaram 15 anos, foram gastos cerca de um milhão de euros e tudo está na mesma. Um cenário que na última sessão da assembleia municipal de Penamacor Manuel Robalo, da bancada da oposição, recordou

 

"Isto é inimaginável. Como é que é possível. A paróquia diz que estabeleceu um acordo e a câmara não lhe dá seguimento? Não cumpre os seus compromissos? No processo também está a ADRACES. Foi efectuada a obra de requalificação da vila e depois está li aquele monstro á vista de todos. Urge resolver isto", afirma.

 

Para o membro da Coligação "Juntos por Penamacor" a situação é incompreensível e "responsabiliza toda a gente". Admitindo que o problema precisa de ser resolvido, o presidente da câmara municipal de Penamacor afirma não ter meio milhão de euros para concluir a obra, que resulta e um acordo assinado há cerca de 16 anos pela câmara e paróquia

 

" Confesso que não me sinto confortável de ver a obra do salão paroquial no estado em que ela está mas também lhe confesso que a autarquia não tem 500 mil euros para acabar a obra sem financiamento comunitário, quer é o levantamento actualizado de investimento para a obra. Assim que isso acontecer cá estaremos para tal situação", garante.   

 

António Beites que antes tinha ouvido do mesmo deputado da Coligação elogios à gestão do actual executivo. Depois de solicitar ao edil mais abertura para ouvir as propostas que lhe apresentam, Manuel Robalo destacou algumas intervenções feitas para chegar à conclusão que o balanço é positivo

 

"A actuação deste executivo, no seu conjunto, tem sido considerada globalmente positiva e relativamente apreciada pela generalidade da população bastando as obras de ampliação e remodelação do cemitério, as obras de remodelação da zona central de Penamacor e a criação da marca e do evento "Penamacor Vila Madeiro" para justificarem o mandato por muitos considerado o melhor e o mais dinâmico desde o tempo do coronel Arnaldo Antunes", disse.

 

 

Recorde-se que o presidente da câmara municipal de Penamacor já anunciou a sua disponibilidade para se recandidatar ao cargo.


  Redes Sociais   Facebook

2007—2017 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados