RCB/TuneIn
Quinta, 17 Out 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
DESPORTO
DERBY TERMINA EMPATADO
Benfica e Castelo Branco e Penamacor empatam em jogo onde o ?rbitro foi o elo mais fraco.... Neste primeiro derby da Beira Baixa o Benfica e Castelo Branco foi surpreendido por uma ADEP, que trazia a li??o muito bem estudada. Os comandados de V?tor Salvado realizaram uma primeira parte de bom n?vel e chegaram ao intervalo em vantagem. O Benfica e Castelo Branco reagiu e chegou ao tento da igualdade aos 65m, atrav?s de uma grande penalidade inexistente...
Por Rui Fazenda em 20 de Sep de 2009

O Benfica e Castelo Branco, recebeu nesta 2ª Jornada uma ADEP muito personalizada com os homens de Vítor Salvado a apresentarem-se com a lição muito bem estudada e raramente deixaram o Benfica"pensar" o seu jogo.

A primeira grande oportunidade de golo surgiu aos 12 minutos para o Benfica e Castelo Branco, com Fabricio a surgir solto na pequena área e de cabeça a rematar por cima da baliza de Oleh. Um falhanço escandaloso do avançado Albicastrense.

A ADEP não dava espaços ao Benfica e Castelo Branco e o seu meio campo ia desequilibrando a partida para o seu lado. Aos 20 minutos, Tomás na transformação de um livre directo, ainda longe da baliza Albicastrense, arrancou um grande pontapé que levou o esférico a bater com estrondo na barra da baliza de Hélder Cruz. Estava dado o primeiro sinal de perigo por parte do Penamacor. A pressão que a intermediária Penamacorense estava a exercer trouxe os seus frutos à passagem dos 38 minutos, com Tiago Marques a perder a bola para Pedro Silveiro, que galgou alguns metros , endossando o esférico a João Paulo que, descaído para o lado direito, á entrada da área rematou forte, colocando a bola entre o poste e a mão de Hélder Cruz, fazendo assim o tento inaugural da partida. Um golo, onde o Hélder Cruz, não fica isento de culpas, pois a sua colocação não era a melhor.

A ADEP, não levantou o pé do acelerador e aos 41 minutos Patriarca esteve perto de fazer o 0-2, ao ganhar na raça a posse de bola a Miguel Vaz e, já dentro da área de rigor, rematou para defesa apertada de Hélder Cruz com os pés.

O Intervalo chegou, com uma vantagem justa dos homens de Penamacor.

Para o segundo tempo, o Benfica e Castelo Branco deixou nos balneários João Afonso e lançou Mauro, um homem de características ofensivas. Todavia, o primeiro sinal de verdadeiro perigo no segundo tempo, foi mais uma vez para a ADEP, com João Paulo a desferir um remate fortíssimo, proporcionando a Hélder Cruz, uma excelente defesa. Na sequência dessa defesa a bola ficou na posse dos homens do Benfica e Castelo Branco que organizaram um rápido contra-ataque concluído com um remate cruzado de Tiago Marques, que só não deu golo porque Oleh, desviou a bola para canto.

Nesta fase da partida o Benfica e Castelo Branco, estava mais ofensivo, mas não conseguia criar verdadeiro perigo para as redes adversárias.

Aos 65 minutos, surge o caso do jogo. Daniel Fernandes, conseguiu ganhar posição à defensiva da ADEP e quando se preparava para entrar na área de rigor foi carregado por Cristophe. Sérgio Pedro, o auxiliar de Rui Dias, assinalou a falta, mas ficou na linha lateral, Rui Dias que estava no flanco contrário, assinalou Penalty... uma decisão errada do árbitro da partida que o auxiliar, Sérgio Pedro, tinha a obrigação de corrigir... a falta existiu, mas claramente fora da grande área. Na transformação, Fabricio fez o empate.

Com este golo, o jogo ficou mais "aberto", mas nem o Benfica, nem o Penamacor conseguiram desfazer a igualdade. A ADEP, aos 80 minutos, ficou reduzida a 10 elementos com a expulsão de Marco, que viu o segundo amarelo, num lance onde Rui Dias foi rigoroso, pois a falta existiu mas poderia passar perfeitamente sem a exibição da cartolina amarela.

Um empate que se aceita, sobretudo pela primeira parte da ADEP e pela força de vontade dos homens de Castelo Branco que lutaram até a exaustão. Mas a imagem que fica desta partida, é que o "PENA" foi uma equipa mais consistente.

Quanto a Rui Dias, o árbitro da partida, complicou o que estava a ser fácil... aos 48 minutos há um lance duvidoso na área do Penamacor entre Marco e Mauro, no qual o homem do Benfica surge no chão, tocado pelo defesa do Penamacor, a duvida neste lance é se a falta existiu, ou se Mauro "Cavou " a falta... Rui Dias, que estava bem colocado, mostrou cartão amarelo ao avançado Albicastrense. Neste lance beneficio da dúvida para o árbitro que estava no sitio certo para ajuizar correctamente. O mesmo já não podemos dizer, da grande penalidade assinalada a favor do Benfica. A falta existiu, mas fora da área de rigor... um lance onde Sérgio Pedro, o arbitro assistente, é "cúmplice", pois tinha a obrigação de corrigir o seu chefe de equipa. Um lance que acabou por ter influência no marcador. Por tudo isto Rui Dias tem que ter, forçosamente, nota negativa nesta partida.


  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados