RCB/TuneIn
Quarta, 20 Out 2021
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POLÔŅĹTICA
AMC APLAUDE PODER LOCAL EM P
Rádio Cova da Beira
A Assembleia municipal da Covilh√£ (AMC) evocou, na √ļltima sess√£o, os 40 anos do poder local democr√°tico, homenageando todos aqueles que exerceram fun√ß√Ķes durante esse per√≠odo. A homenagem ¬ďsingela mas sentida¬Ē, frisou Jos√© Armando Serra dos Reis, consistiu no descerramento de uma placa alusiva √† data, colocada √† entrada do audit√≥rio municipal, e √† aprova√ß√£o, por unanimidade, de uma mo√ß√£o que os deputados municipais aplaudiram em p√©.
Por Paula Brito em 29 de Dec de 2016
“Em homenagem a todos os cidadãos das comissões administrativas e autarcas das freguesias que, durante este período, com empenho, zelo e dedicação, contribuíram para o desenvolvimento social, cultural e económico do nosso concelho, aprofundando a democracia e a participação das populações”. A moção, lida pelo presidente da assembleia municipal, foi concertada com todas as bancadas e aprovada por unanimidade e aplausos numa assembleia onde foram ainda aprovadas outras duas moções sobre o mesmo tema. Sem unanimidade no texto, PSD e CDU apresentaram moções distintas, as duas aprovadas por maioria.

Aproveitando o momento de celebração, Vítor Reis Silva, denunciou aquilo que considera ser um atropelo ao poder local, recordando as recentes declarações do ministro do ambiente na Covilhã, que fez depender a construção da barragem da integração do município no sistema multimunicipal de abastecimento de água. Uma “chantagem” que humilha o poder local, “porque quer condicionar e limitar a nossa decisão sobre património e recursos”. Reis Silva aproveita para deixar, desde já, a posição da CDU sobre a matéria “a Covilhã não deve integrar qualquer sistema multimunicipal tendente à concentração da sua exploração para mais facilmente se privatizar”.

O líder da bancada da CDU considera ainda que está a ser colocado em causa o poder local quando a câmara da Covilhã decide substituir-se ao governo na comparticipação nacional da unidade de hemodinâmica do Centro Hospitalar da Cova a Beira ou na recuperação do pavilhão da escola do Paul “o PS, responsável pela gestão da câmara municipal, assume as responsabilidades do PS que governa o país, gastando o dinheiro que o concelho necessita, por exemplo, para a requalificação da rede viária ou reabilitação urbana. Esta atitude voluntarista não reforça o poder local e o papel das autarquias”.

Sobra a unidade de hemodinâmica, Vítor Pereira reafirmou a estratégia concertada com o Fundão para dotar a região desta e de outras valências na área da saúde, em relação ao pavilhão do Paul foi a forma encontrada para realizar a obra “havendo uma pequena sobra daquilo que é o investimento na escola secundária Frei Heitor Pinto, porque não alocá-lo à requalificação do pavilhão do Paul? eu não vejo mal ao mundo e esperava era que o senhor se viesse regozijar porque vai ter o pavilhão requalificado e sem amianto”.

No que ao pavilhão desportivo da escola do Paul diz respeito a autarquia disponibiliza uma verba de 247 mil euros. Já no que respeita à unidade de hemodinâmica são 400 mil euros a dividir em duas prestações de 200 mil euros.  


  Redes Sociais   Facebook

2007—2021 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados