RCB/TuneIn
Sábado, 20 Out 2018
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POLÍTICA
PENAMACOR APROVA PLANO “REALISTA”
Rádio Cova da Beira
Câmara municipal de Penamacor aprovou por maioria, com a abstenção da bancada da oposição, o orçamento e as grandes opções do plano para 2017. Um orçamento no valor de 12 milhões e 96 mil euros, mais 200 mil euros do que o orçamento deste ano, e diferente dos anteriores diz António Beites.
Por Paula Brito em 28 de Oct de 2016
 A definição dos projectos que vão ser apoiadas por fundos comunitários vai permitir a realização de um conjunto de obras que vão arrancar no próximo ano em Penamacor. “É um documento que nada tem a ver com os que foram apresentados anteriormente, ou seja, com questões integralmente definidas, nomeadamente a requalificação de toda a zona histórica e acessos, a requalificação do teatro clube de Penamacor, do centro de saúde, a implementação e execução da área de acolhimento empresarial na zona industrial de Penamacor, cuja primeira fase das obras já se iniciaram”, enumerou o presidente da câmara de Penamacor.

O autarca admite que o orçamento vai limitar algumas intervenções, mas garante que o executivo está a trabalhar em todas as freguesias “não queremos abandonar as aldeias”, referiu António Beites a propósito do orçamento e plano que considera realista “um orçamento que pretende ser dotado de um enorme realismo quer financeiro, quer orçamental, quer em função da exequibilidade das acções nele descritas, iremos continuar o nosso processo de saneamento financeiro, ou seja, o exercício de 2017 será ainda muito alocado à dívida da autarquia”.

A bancada da oposição optou pela abstenção, na sequência da posição que tem vindo a assumir ao longo do mandato de “não obstaculizar o trabalho da maioria”, justificou Pedro Folgado “este orçamento não é assim tão diferente dos anteriores, continua a traduzir aquilo que é a visão deste executivo para o município, há pontos com os quais concordamos, há outros com que discordamos, como referi, nós entendemos na coligação que está mais do que na hora de fazer uma alteração do paradigma de desenvolvimento do concelho, o modelo do betão está a esgotar-se paulatinamente embora há que sublinhar que em Penamacor havia a carência de algumas infraestruturas de que é exemplo as canalizações e a separação das águas pluviais do saneamento”.

O vereador da coligação “Juntos por Penamacor” deixa também o exemplo de outras opções que mereceram a discordância da oposição “a aquisição do edifício do antigo colégio, e a prova é que o edifício não tem qualquer utilidade neste momento, e foi um avultado investimento que autarquia fez e que não se traduziu em nada até agora,  a aquisição dos imóveis junto à igreja matriz, embora a intervenção fosse necessária, a verdade é que entendemos que o valor que foi pago pelos imóveis foi excessivo para aquilo que é a realidade financeira do concelho.”


  Redes Sociais   Facebook

2007—2018 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados