RCB/TuneIn
Quarta, 03 Mar 2021
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POLÔŅĹTICA
AMB APROVA PLANO
Rádio Cova da Beira
A assembleia municipal de Belmonte aprovou por maioria a celebra√ß√£o de um contrato para a implementa√ß√£o de medidas de efici√™ncia energ√©tica no √Ęmbito do plano de racionaliza√ß√£o que o concelho vai desenvolver.
Por Nuno Miguel em 19 de Aug de 2016

A questão esteve em cima da mesa em reunião extraordinária do órgão em que o documento foi aprovado por unanimidade mas no momento da votação os deputados Anabela Pinto, Fernando Proença e Lara Curto, da bancada do movimento “Pessoas Pelo Concelho” ausentaram-se de sala por manifestarem dúvidas sobre se o assunto deveria ser analisado pela assembleia municipal.

Já em relação ao contrato os eleitos da oposição manifestaram dúvidas em relação à repartição de encargos e assunção de compromissos por parte da autarquia. Anabela Pinto refere que não está em causa o mérito do plano mas há várias questões que ficaram sem resposta “está aqui planeado uma reparticação de custos a 12 anos no contrato que há-de ser feito com a entidade adjudicatária mas eu pergunto se ao fim de seis anos, atendendo ao acréscimo dos benefícios e à redução dos custos, se tudo estiver amortizado vamos continuar a pagar à empresa adjudicatária. A assembleia vai aprovar a assunção de mais um encargo para a câmara, que pode ser muito benéfico, mas era bom que nós tivéssemos muito mais dados porque estas questões podem ser muito complicadas”.  

Críticas que o presidente da câmara de Belmonte rejeita. António Dias Rocha garante que “isto não tem custos para a câmara; eu estou é a diminuir os compromissos que tenho na câmara e esta opção vai-nos permitir fazer economias ao nível da factura energética e introduzir um sistema que nos vai permitir substituir todas as luminárias e dessa forma melhorar este serviço às nossas populações. Eu enforco-me num candeeiro se isto tiver custos para a câmara”.

Por parte da bancada do PS foi sublinhado que este projecto pode trazer vários benefícios para o concelho e as suas populações. No entanto Licínio Benedito refere que “também se levantou a dúvida se havia necessidade de trazer este assunto à assembleia municipal mas foi esse o entendimento dos juristas da câmara e nós cá estamos. Esta opção vai-nos permitir reduzir custos energéticos e com isso temos benefícios financeiros, ambientais e com a garantia da melhoria do serviço à população”.

Já a eleita da CDU, Marisa Tavares, espera que este novo plano energético permita resolver algumas situações negativas que se vinham a verificar em todo o concelho “soubemos de situações em Maçainhas, Caria e Carvalhal Formoso onde havia apagões completos e naturalmente que temos de reduzir custos mas não pode ser a esse ponto. Esperamos que esta opção seja benéfica e esperamos que os técnicos que vão trabalhar esta questão tenham em atenção a resolução desses problemas”.


  Redes Sociais   Facebook

2007—2021 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados