RCB/TuneIn
Sexta, 24 Mai 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POLÍTICA
“UM CARTÃO VERMELHO ÀS POLÍTICAS DA TUTELA”
Rádio Cova da Beira
É desta forma que a coordenadora distrital do sindicato dos enfermeiros portugueses avalia os números da greve do sector que decorreu nos últimos dois dias. Nos hospitais da Covilhã e de Castelo Branco os números globais de adesão superam os 80 por cento enquanto que no Fundão rondaram os 90 por cento.
Por Nuno Miguel em 30 de Jul de 2016

A reposição das 35 horas para o sector, nomeadamente para os enfermeiros com contrato individual de trabalho, o pagamento do trabalho extraordinário e a admissão de mais profissionais foram alguns dos motivos que levaram os enfermeiros a adoptar esta forma de luta. Conceição Rodrigues espera agora que o ministério da saúde retire ilacções destes números “é um grande carão vermelho que foi mostrado à tutela e esperamos que agora se sente à mesa, que negoceie o que é justo e que sejam tomadas as medidas para resolver muitos dos problemas que estão instalados nas instituições. Para além disso a tutela também tem de dar orientações e sinais claros para que as administrações não tenham receio de avançar”.

No caso no centro hospitalar da Cova da Beira já está agendado um novo plenário de enfermeiros, para o próximo dia três de Agosto, para analisar as conclusões de uma reunião que o sindicato manteve com o concelho de administração. Conceição Rodrigues refere que foi encontrada abertura para resolver os problemas, mas se tal não acontecer o recurso à greve pode ser colocado novamente em cima da mesa “no plenário de dia 15, e perante os problemas instalados, os enfermeiros manifestaram disponibilidade para uma greve para os dias 23, 24, 25 e 26 de Agosto. Esta foi uma questão que nós já demos a conhecer ao conselho de administração e desde que os problemas que existem tenham uma resposta cabal em relação ao que é defendido não haverá greve”.

  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados