RCB/TuneIn
Terça, 07 Jul 2020
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POL�TICA
LITORAL CONSOME 75% DOS FUNDOS DE COESÃO
Rádio Cova da Beira
Os primeiros dados do novo quadro comunitário são “inadmissíveis” disse Paulo Fernandes a partir da praça do município onde foram hasteadas as bandeiras das 31 freguesias, e do município, que fizeram a história dos 40 anos do poder local democrático no concelho do Fundão. Comemorar esta data conjuntamente com os 30 anos da RCB, é celebrar a “proximidade” disse o autarca fundanense.
Por Paula Brito em 20 de Jun de 2016

Num discurso virado para a coesão, Paulo Fernandes considerou inadmissível que as NUTS do interior concentrem apenas 25% dos fundos comunitários, “ou seja, as Nut´s do litoral, nos primeiros dados conhecidos, têm 75% do investimento vindo por fundos comunitários que, como sabem, a razão de os recebermos tem a ver com a política de coesão. Alguma coisa não está bem no quadro deste país. Era fundamental que alterássemos este paradigma quanto mais cedo melhor, senão vamos chegar ao fim destes 5 anos e vamos ter as assimetrias alargadas e as políticas públicas foram até o motor para que essas assimetrias fossem maiores e isso é absolutamente inadmissível”.

A indignação de Paulo Fernandes, no passado sábado, desde a praça do município, onde foram hasteadas as bandeiras das 31 freguesias iniciais do concelho e a bandeira do município, um conjunto heráldico, frente aos paços do concelho, para homenagear os 40 anos do poder local. Quatro décadas onde muito foi feito com poucos recursos, sobretudo ao nível das infraestruturas básicas, mas hoje há novos desafios que se colocam ao poder local, como enumerou Malícia Trindade, presidente da União de freguesias de Fundão, Valverde, Donas, Aldeia de Joanes e Aldeia Nova do Cabo, que falou em representação dos autarcas de freguesia “a desertificação, o envelhecimento da população, a fraca natalidade, o desemprego, o agravamento das dificuldades das famílias e das empresas, a coesão do território, os emergentes problemas sociais, a preservação do património e do ambiente, a par das competências próprias das autarquias, que já vêm do passado, que suscitam hoje responsabilides acrescidas ao poder local  que adquiriu novas competências e que continua confrontado com acentuadas restricções financeiras”.

Luís Gavinhos, presidente em exercício da Assembleia Municipal do Fundão, deixou o testemunho da “grande família” que representa hoje o poder local no concelho “a expressão de uma grande honra e alegria que partilho com os presidentes de junta que são membros da assembleia, constituindo uma grande família que converge para os mesmos fins que são os do desenvolvimento do concelho”.

Os 40 anos do poder local associaram-se aos 30 anos da Rádio Cova da Beira. Celebrar estas duas datas em conjunto é para o presidente da câmara do Fundão, comemorar a proximidade “as juntas de freguesia representam o elo mais próximo do poder local e a RCB, daquilo que é a comunicação social da nossa região, também representa o elo mais próximo da informação às pessoas”.

Paulo Fernandes salientou ainda o papel social que a RCB tem desempenhado no concelho e na região, ao longo destes 30 anos “A RCB, para além da comunicação e informação, tem hoje um valor social para aquilo que é a coesão da nossa comunidade ou do nosso  conjunto de comunidades que expressam o nosso território e que eu gostava aqui de sublinhar e saudar neste dia tão especial, nestas três décadas de bem fazer comunicação e informação no nosso concelho e na nossa região”.

Também Malícia Trindade felicitou a RCB pelo caminho “nem sempre fácil, mas que se tem distinguido e pautado por uma informação credível, séria e honesta e que tem sido até hoje uma via aberta, também de proximidade para os autarcas de freguesia, para as instituições, colectividades e para as populações”.


  Redes Sociais   Facebook

2007—2020 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados