RCB/TuneIn
Domingo, 15 Set 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
BOMBEIROS QUEREM RECONHECIMENTO NACIONAL
Rádio Cova da Beira
O vice presidente da Liga de Bombeiros Portugueses (LBP) quer ver a posição dos bombeiros clarificada no Instituto Nacional de Emergência Médica, uma vez que são os bombeiros os responsáveis por mais de 97% do socorro emergente e urgente em Portugal. Gil Barreiros falava na IV Gala distrital de bombeiros que este ano decorreu no Fundão.
Por Paula Brito em 31 de May de 2016
”Não se entende que sendo nós os maiores prestadores de socorro no nosso país, não tenhamos nenhum representante no conselho directivo do INEM, queremos ter um representante dos bombeiros com um cargo não executivo e, já dissemos, sem qualquer remuneração, mas queremos ter uma voz lá dentro e dizer aquilo que sentimos”.

E o que sentem é uma tentativa apagar a imagem dos bombeiros da sociedade, acusa Gil Barreiros, referindo-se à “operação de charme” do INEM quando colocou ambulâncias em todos os concelhos “que são tripuladas por bombeiros que têm o curso igual aos tripulantes dessas ambulâncias que ainda estão afectas à estrutura do INEM. Nós bombeiros somos tripulantes de ambulâncias, eles são técnicos, e estas diferenças fazem com que hoje, quando as nossas ambulâncias saem para a rua as pessoas já ninguém diz vão aí os bombeiros, dizem, vai ali o INEM, e assim se vai apagando a imagem real dos nossos bombeiros”.

O vice presidente da LBP saúda o regresso da isenção das taxas moderados para os bombeiros mas considera que é apenas um pequeno passo no reconhecimento que ainda falta da sociedade aos bombeiros voluntários, por isso a liga está empenhada em ver criado o cartão social do bombeiro “o cartão social do bombeiro pode ser o reconhecimento nacional do esforço de todas as mulheres e homens que vestem a farda da paz e que dão a vida, se for necessário, para salvar pessoas, que muitas vezes não conhecem, e bens que nunca são os seus. O cartão social do bombeiro com benesses sociais tem que ser uma realidade, como estamos a lutar para ter uma direcção nacional de bombeiros directamente afecta à secretaria de estado e ao ministério da administração interna.”

Gil Barreiros falava na IV gala distrital de bombeiros de Castelo Branco que este ano decorreu no Fundão. Paulo Fernandes, o anfitrião do evento, considera que os benefícios para os bombeiros devem ser maiores, uma ambição justa que contará com os autarcas como aliados “e o regime contributivo para os bombeiros? a carreira contributiva dos bombeiros? Ainda hoje ouvimos aqui bombeiros agraciados que dedicaram horas e horas aos bombeiros, então essa questão não deve ser tida em conta na idade da reforma? Eu acho que devem ser mais ambiciosos e nós, autarcas, temos que estar ao vosso lado nessa ambição justa”.

Desde 2013 que a federação distrital de bombeiros de Castelo Branco promove anualmente a gala dos bombeiros que já permitiu distinguir 51 entidades e personalidades pelo seu papel relevante em prol dos bombeiros e que de outra forma “passariam despercebidos” considerou o presidente da federação na gala que este ano decorreu no Fundão. É o reconhecimento entre pares que José Neves pediu também ao Estado “o Estado português tem nos últimos anos debitado legislação em catadupa e hoje, o tamanho das letras de uma ambulância pode ser causa de coimas pesadas para as associações de bombeiros. Não queremos estar acima da lei, não queremos facilitismos nem favorecimentos, mas queremos ser tratados com a dignidade de quem presta socorro, em excelentes condições”.

Nesta cerimónia foi distinguido com o crachá de ouro da Liga dos Bombeiros Portugueses o comandante José Mariano, que esteve à frente das corporações de bombeiros de Belmonte e Castelo Branco com quem compartilhou a homenagem “este crachá de ouro vai para todos os bombeiros do distrito de Castelo Branco e muito especial para as associações onde prestei serviço”.

Cada corporação propõe uma distinção a um bombeiro, dirigente, entidade, autarca, empresário, desde que tenha contribuído para o engrandecimento dos bombeiros. Assim este ano: Belmonte – Chefe Filipe Manuel Feliciano; Castelo Branco – Bombeiro Joaquim dos Santos; Cernache do Bonjardim – Libanio Nunes, foi tesoureiro e vice-presidente da direcção, Covilhã – A todo o quadro de honra da associação; Fundão – Bombeiro Roberto Miguel Costa; Idanha-a-Nova – Bombeiro José Sanches Crespo; Oleiros – Bombeiro Nuno Miguel Pereira; Proença-a-Nova – presidente da direcção José Marques; Sertã – aos mais de 700 bombeiros que ao longo dos últimos 100 anos pertenceram ao corpo de bombeiros; Vila de Rei – Chefe Carlos Manuel Sousa Henriques; Vila Velha de Ródão – Bombeiro José António Rodrigues. A corporação de Penamacor esteve ausente e a Federação distrital de Castelo Branco propôs para ser homenageado António José Luís Rodrigues, comandante da corporação de Oleiros.


  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados