RCB/TuneIn
Quinta, 27 Fev 2020
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
DESPORTO
CMC APROVA ALTERAÇÃO DE DELIBERAÇÃO
Rádio Cova da Beira
Com a abstenção dos eleitos da CDU e do MAC a câmara municipal da Covilhã aprovou por maioria a alteração da deliberação tomada em Fevereiro deste ano para a cedência de um terreno ao Sporting da Covilhã para a construção da academia de formação do clube. A proposta inicial apontava para uma área de terreno com 13 665 metros quadrados mas a colectividade vai apresentar uma candidatura a fundos comunitários e para isso necessita de deter o direito de superfície de toda a área, sediada na freguesia na Boidobra, com 29 mil e 600 metros quadrados.
Por Nuno Miguel em 24 de May de 2016

De acordo com o vereador da CDU a autarquia está a perder uma grande oportunidade para conseguir um entendimento entre o Sporting da Covilhã e a ADE. José Pinto refere que “vamos ter duas associações a candidatar-se ao mesmo financiamento, que partilham a mesma área geográfica, que tem os mesmos objectivos e os mesmos jovens. Salvo melhor opinião, e sem querer tomar partido por qualquer uma das instituições, uma boa gestão da causa pública se eu estivesse no lugar do senhor presidente teria aproveitado esta excelente oportunidade para ter solicitado uma reunião conjunta com as duas colectividades para evitar correr o risco de ambas serem excluídas dos financiamentos porque essa pode ser a estratégia seguida pelo promotor para não melindrar nenhum deles”.   

Já o eleito do PSD recordou que em 1993, quando foi presidente da ADE, foi possível celebrar um protocolo de cooperação entre as duas colectividades. Um cenário que Joaquim Matias gostaria agora de ver repetido “eu gostaria muito que o Sporting da Covilhã e a ADE se entendessem; ainda não há muito tempo o senhor presidente da câmara afirmou numa reunião do executivo que nós não somos obrigados a ser amigos uns dos outros mas somos obrigados a respeitar-nos e a colaborar sempre na perspectiva de melhorar as condições para as pessoas. As direcções não têm que se dar bem mas tem que entender que o concelho da Covilhã tem um projecto desportivo e que precisa do contributo de todos para ser implementado”.

O líder da bancada do movimento “Acreditar Covilhã” ainda solicitou que o ponto pudesse ser retirado da ordem de trabalhos para que fosse agendada uma reunião conjunta com os clubes. Pedro Farromba sustenta que “nós hoje somos aqui o fiel da balança porque a decisão que for tomada vai pender para, eventualmente, termos mais um espaço uma vez que por aquilo que tive oportunidade de analisar vejo que nunca vão chegar verbas para as duas colectividades e com a perspectiva de podermos vir a criar mais uma situação que depois nos vai cair no colo porque dentro de uns anos quem estiver em funções vai ter de chegar a um acordo tendo em vista a manutenção desta infraestrutura no futuro”.   

Uma sugestão que não foi aceite pelo presidente da câmara da Covilhã dado a necessidade de ter o processo administrativo concluído antes do final deste mês. Vítor Pereira entende que a melhor solução seria um entendimento entre os dois clubes mas nas actuais circunstâncias esse cenário é inviável “o desejável entendimento entre as duas instituições era fazer a quadratura do círculo conhecendo eu a realidade. As duas instituições estão de costas voltadas, quem está à frente das instituições acaba por dar forma a uma situação dessas e nós temos que ser muito pragmáticos e estamos neste momento confrontados com uma espécie de apelo lancinante por parte da direcção do Sporting da Covilhã a dizer que se esta cedência não for feita antes do final do mês a candidatura a fundos comunitários não vai poder ser apresentada”.

  Redes Sociais   Facebook

2007—2020 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados