RCB/TuneIn
S√°bado, 06 Jun 2020
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
CULTURA
COVILHÃ INAUGURA MEMORIAL DA CASA DA HERA
Rádio Cova da Beira
A instala√ß√£o foi inaugurada no √Ęmbito da comemora√ß√£o do dia internacional dos museus e tem como objectivo colocar em destaque uma janela manuelina que fazia parte da estrutura inicial de uma casa onde habitou o alcaide mor D. Rodrigo de Castro e que foi demolida em 1947 na sequ√™ncia das obras de constru√ß√£o do edif√≠cio do teatro municipal.
Por Nuno Miguel em 20 de May de 2016
 Na cerimónia de apresentação deste projecto o presidente da câmara da Covilhã destacou a importância de colocação desta peça num dos principais circuitos turísticos da cidade. Vítor Pereira sublinhou ainda que se este trabalho não fosse feito o janelão acabaria por se perder “preservar aquilo que nos foi legado é uma das nossas principais incumbências; desta forma nós quisemos de uma forma simbólica devolver à cidade uma peça importante do seu património. Ela foi colocada num local próximo do local onde estava originariamente, num circuito que é feito pelos turistas que se deslocam à nossa cidade para visitar monumentos com interesse como é o caso da igreja de Santa Maria ou a galeria de exposições que funciona na antiga casa dos magistrados e que desta forma podem até interagir com o próprio monumento. É a fazer jus ao nosso passado, que muito nos orgulha, que nós queremos projectar o futuro”. 

 

O dia internacional dos museus na Covilhã foi ainda assinalado com a apresentação de um retábulo, onde está retratado o quadro do calvário de cristo. Uma peça que durante vários anos esteve na capela de São Martinho e que se apresentava em avançado estado de degradação. Depois dos trabalhos de recuperação o quadro vai agora estar em exibição permanente no museu de arte sacra “trata-se de uma peça que durante muitos anos esteve guardada na capela de São Martinho e que em boa hora foi descoberta e referenciada pela universidade da Beira Interior e que teve a amabilidade de fazer a sua cedência para que nós, depois de recuperada, a possamos exibir. É uma peça com motivos históricos relevantes~, que tem um pendor religioso muito forte, e coloca-la no museu de arte sacra era o melhor que podíamos fazer para disfrute da nossa cidade e de todos aqueles que nos visitem”.

 


  Redes Sociais   Facebook

2007—2020 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados