RCB/TuneIn
Sábado, 24 Out 2020
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POL�TICA
PENAMACOR: FALTA CUMPRIR ABRIL COM O INTERIOR
Rádio Cova da Beira
O tema dominou os discursos da sessão solene comemorativa do 25 de Abril em Penamacor. Um concelho que padece do mal da interioridade, pese embora o salto qualitativo que foi dado durante os 42 anos de democracia que hoje se comemoram.
Por Paula Brito em 25 de Apr de 2016
“Temos hoje fantásticos recursos ao nível da educação, saúde, acção social, sofremos do mal que a faixa que vai de Vila Real a Vila Real de Sto. António, sofrem, ou seja, sofremos do mal de termos cada vez menos gente, isto é um problema gravíssimo, o que é que será esta região daqui a uma dúzia de anos?” Para o presidente da câmara de Penamacor o poder central é o único capaz de inverter esta situação, mas até hoje tem falhado na missão de travar o despovoamento do interior do país. Para António Beites, a situação agravou-se nos últimos quatro anos, com o atentado que foi feito ao poder local “a democracia e o poder local foi posto em causa com a perda de direitos e a passagem de obrigações sem a respectiva componente financeira, hoje ser autarca no interior do país é um enorme desafio”.

Mas se a vida de um autarca do interior não é fácil, a de um empresário é ainda mais difícil. António Beites deixou o exemplo das portagens na A23 “é um horror de dinheiro ao fim do ano que fica nas portagens e que, infelizmente, nem sequer é reinvestido na nossa região, porque lá estamos nós a financiar os grandes centros urbanos, onde está a população e onde o poder central tem os votos quando os precisa”.

A desertificação, o envelhecimento e baixa taxa de natalidade são problemas do interior em geral e do concelho de Penamacor de uma forma particular. Manuel Robalo, da Coligação Juntos por Penamacor vaticinou o futuro do concelho “se nada for feito assistiremos à continuada degradação do tecido urbano das diversas localidades e ao desaparecimento das respectivas populações, isto não é uma previsão longínqua, já está a acontecer no concelho, veja-se o decréscimo populacional ocorrido em todas as freguesias, em particular e mais acentuadamente no caso da Bemposta e Aldeia de João Pires”.

Já para a bancada socialista, o poder local é, segundo Guida Leal a forma mais eficaz de cumprir Abril “encarar com espírito de missão o trabalho que os penamacorenses nos confiaram, mesmo e apesar das dificuldades, de todos  os cortes, das perdas da receita própria, mesmo e apesar da dívidas herdadas, sem nunca esquecer o legado do 25 de Abril”

Também para José Manuel Cruchinho, da bancada do CDS.PP se fica a dever ao poder local o cumprimento da democracia “vamos continuar a fazer desta autarquia uma força política cada vez mais forte e uma voz activa da população de Penamacor”.

A mensagem central dos discursos das diferentes bancadas da assembleia acabou por ser resumida pelo presidente da mesa, Anselmo Cunha, evocando Fernando Pessoa “numa analogia atrevida e grosseira atrevo-me a evocar o grande  Pessoa que vaticinou que se cumpriu o mar, faltando cumprir-se Portugal, neste contexto, pode acrescentar-se aqui que no que toca ao interior falta cumprir-se Abril”.

Também para António José Seguro, que escolheu o dia da liberdade para lançar, na sua terra natal, o seu livro sobre a reforma do parlamento português, no que ao interior diz respeito, falta cumprir Abril “falta sempre cumprir Abril, o nosso país é muito desequilibrado, muito dual, o interior de Portugal é visto por muita gente ainda como um fardo, um problema, quando é uma terra de oportunidades”. Questionado se a Unidade de Missão para a valorização do interior do país, criada pelo governo, vem ajudar a resolver o problema, António José Seguro fugiu das questões de política nacional mas defendeu que “o interior precisa de um olhar que não seja pontual, precisa de um olhar estruturante, sustentável, inclusivamente para o desenvolvimento global do nosso país”.

Foi com uma sala cheia de amigos, familiares e conterrâneos, que António José Seguro lançou o seu livro que teve, em Penamacor, a particularidade de ser apresentado pela sua filha de apenas 13 anos. 


  Redes Sociais   Facebook

2007—2020 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados