RCB/TuneIn
Quarta, 20 Nov 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
CULTURA
CONCURSO INTERNACIONAL CIDADE DO FUNDÃO GANHA NOVA VARIANTE
Rádio Cova da Beira
A Academia de Música e Dança promove a décima sétima edição do concurso internacional cidade do Fundão de 30 de Junho a 9 de Julho. O alargamento do prazo de realização do concurso, a par da introdução de uma nova variante são as novidades este ano do concurso que junta ao canto, piano, violino e guitarra, o violoncelo.
Por Paula Brito em 26 de Mar de 2016
 

 “Tínhamos um conjunto de professores, a nível nacional, a tentar convencer-nos a abrir o concurso ao violoncelo, tínhamos algumas das pessoas mais qualificadas do país artística e pedagogicamente disponíveis para trabalharem connosco, e decidimos avançar. Isto coloca-nos um problema de espaço porque não conseguimos, no Fundão ter cinco espaços para que possam estar a decorrer as cinco variantes, tomámos a decisão de antecipar o canto, que começa a 30 de Junho e vai até dia 2 de Julho e no dia 4 começamos com as quatro variantes”, explica João Correia, director da Academia fundanense.

No ano passado participaram no concurso 270 concorrentes, este ano, com a introdução de uma nova variante o número deverá aumentar. É que segundo João Correia, o concurso internacional cidade do Fundão já ganhou um lugar de destaque no panorama nacional “hoje, sentimos quando andamos pelo país, que quando se fala do concurso do Fundão, fala-se com profundo respeito. No panorama nacional é talvez o concurso que, para os concorrentes, não se vai de ânimo leve, é preciso passar por outros concursos primeiro, o grau de exigência é extremamente elevado. Depois é um concurso que consegue reunir um conjunto de avaliadores que para além de excelentes instrumentistas são pedagogos.”

Para além dos prémios pecuniários, este ano o prémio mais aliciante será para os concorrentes na variante de piano que ganham uma deslocação ao Brasil onde vão participar em recitais. Um prémio que foi possível introduzir graças a um dos elementos do júri, o pianista brasileiro, Paulo Melo “ que nos permite um protocolo de cooperação em que os vencedores dos diferentes níveis serão seleccionados para irem tocar ao Brasil, com todas as despesas de deslocação pagas, é um dos prémios mais atractivos”.

Segundo João Correia, director da Academia de Música e Dança do Fundão, o concurso internacional cidade do Fundão, que no ano passado teve a participação de alunos de origem espanhola, belga, holandesa, ucraniana, russa e chinesa, permite também aos alunos da academia fundanense alargar horizontes, “conhecerem o mercado e crescerem musicalmente”.


  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados