RCB/TuneIn
Sexta, 22 Nov 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
DESPORTO
M√Ā ESTREIA PARA VALVERDE
Rádio Cova da Beira
Eficácia. Foi na eficácia e na falta dela que se resolveu o jogo de estreia do Grupo Desportivo de Valverde na Taça Nacional de Séniores femininas. A equipa da Caranguejeira rematou uma dezena de vezes à baliza e fez 6 golos, a equipa de Catarina Rondão rematou cerca de três dezenas, isolaram-se seis vezes na cara da guarda-redes e remataram ainda três vezes aos ferros e fizeram dois golos.
Por José Joaquim Ribeiro em 26 de Mar de 2016

A equipa do concelho do Fundão entrou muito forte na partida, conseguindo criar cinco boas situações para marcar e remeter as adversárias para a sua meia quadra. Aos 8 minutos conseguiram traduzir a supremacia com um golo de Ana Vanessa, numa jogada muito bem delineada por Rute, Liliana, com esta a colocar ao segundo poste para Ana Vanessa encostar para o fundo das redes. O jogo indiciava que o GD Valverde iria vencer o jogo com relativa facilidade. Como se provou, não foi isso que aconteceu. A equipa do Caranguejeira chegou à igualdade num lance infeliz de Joana, a guardiã de Valverde, que teve tempo suficiente para resolver a jogada e deixou que Alexandra fizesse o golo. 4 minutos depois as forasteiras davam a volta ao marcador num lance em que Rute Duarte podia ter feito o segundo para Valverde, a bola foi defendida por Rita que lançou o contra-ataque e Cristina concluiu. As atletas do Caranguejeira foram 100% eficazes, remataram duas vezes e fizeram dois golos. O jogo foi para descanso com um empate a dois golos, porque Rita Curto fez o segundo da sua equipa à passagem do minuto 17, numa jogada que ela própria iniciou e concluiu, depois de ter envolvido Rute Duarte na jogada.

 

O resultado ao intervalo não traduzia minimamente o que se tinha passado na quadra, tal a superioridade evidenciada pela equipa de Valverde.

 

Na segunda parte, apesar de se ter mantido a tendência de jogo a equipa da Caranguejeira dilatou o marcador, aos 22, de novo por Cristina, mercê de uma saída precipitada de Joana e o 2-4, aos 34’  volta a resultar em mais uma perdida de Rute com a guarda-redes Rita a defender e de imediato a sair a jogar. Foi até à área contrária e na cara de Joana, deu para o lado onde Cristina se limitou a encostar para as redes.

 

A tarde estava a ser de grande inspiração para Rita, que se ia cotando como a melhor em campo, com grandes defesas e a lançar as investidas atacantes da sua equipa e desastrada para Joana. A guarda-redes de Valverde voltou a ser mal batida aos 36’  no 5º golo do Caranguejeira, deixando passar por baixo do corpo um remate exterior de Alexandra.

 

O 6º e último golo foi da autoria de Cristina, que à sua conta marcou quatro, aos 39’, quando Valverde jogava de 5x4.

 

O desfecho do jogo deixou bem patente no grupo de trabalho de Valverde que a eficácia é a principal arma para se vencerem jogos. O melhor futsal, o maior número de oportunidades não têm efeitos práticos se não concretizarem as jogadas, será um trabalho que vai, seguramente, merecer melhor atenção das atletas e da sua treinadora.

 

Boa arbitragem

 

 

 


  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados