RCB/TuneIn
Segunda, 17 Jun 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
CULTURA
CONCURSO DE PERCUSSÃO: AVALIAÇÃO MUITO POSITIVA
Rádio Cova da Beira
Luís Cipriano faz um balanço muito positivo da primeira edição do concurso internacional de percussão, que terminou ontem na Covilhã. A competição, organizada em parceria pela associação cultural da Beira Interior e pela câmara municipal, contou com a presença de 42 músicos nas quatro categorias que foram avaliadas pelo júri que, de acordo com o presidente da ACBI, teve uma missão difícil dada a elevada qualidade dos participantes.
Por Nuno Miguel em 25 de Mar de 2016

“O nível foi elevadíssimo e não podemos esquecer que são os concorrentes que fazem o concurso e quando agora se disser que o concurso de percussão da Beira Interior tem um nível muito elevado isso fica a dever-se aos concorrentes que cá estiveram. Talvez a maior parte das pessoas que aqui estiveram não imaginasse que a percussão tinha esta amplitude e todas estas variedades e até por ai fico contente porque esta iniciativa também deve ter o papel de aumentar a cultura e que as pessoas da localidade onde ele decorre se possam cultivar mais”.  

No concerto de encerramento, que decorreu no grande auditório da faculdade de ciências da saúde da UBI, esteve também presente o presidente da câmara municipal da Covilhã. Vítor Pereira acredita que esta iniciativa tem todas as condições para se afirmar dentro do panorama cultural do concelho “é difícil encontrar-se a nível nacional um evento desta magnitude e os votos que eu faço é que eventos desta natureza se reproduzam e que este continue porque não tenho dúvidas que ele vai criar raízes, tenho a certeza de que vai trazer mais participantes na próxima edição, sendo uma iniciativa que faz parte do nosso projecto de arquitectura cultural e que vem fechar a abóbada desta grande edifício que estamos a construir”. 

Na categoria A a vitória foi para Raul Eira, aluno do conservatório regional de música de Vila Real, enquanto que na categoria B o vencedor foi Rafael Picamilho da academia de artes de Chaves. Já na categoria C o triunfo coube a Agostinho Sequeira, aluno da escola profissional metropolitana, que não escondeu alguma surpresa com a vitória “sabia que a concorrência ia ser bastante elevada porque o nível foi muito alto nesta categoria. Eu fui fazendo o meu trabalho tocando, passando fase a fase e consegui sair vencedor e naturalmente que isso me deixa muito satisfeito”.

Na categoria D, para as classes etárias mais altas, a vitória foi para André Dias, aluno da escola superior de música e artes do espectáculo que faz uma avaliação muito positiva da sua passagem por este concurso “penso que é uma competição que tem muito potencial para crescer, está muito bem organizada, penso mesmo que nesta primeira edição superou as expectativas. Da minha parte, naturalmente que estou satisfeito embora eu nunca vá a nenhum concurso com o objectivo de ganhar prémios mas sim com a intenção de crescer é óbvio que me enche de orgulho o facto de o júri ter gostado do meu trabalho e me ter escolhido para o primeiro prémio”.   

No próximo ano, a Covilhã volta a acolher a segunda edição deste concurso internacional. A partir dai a organização pretende levar por diante a realização da competição de dois em dois anos.


  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados