RCB/TuneIn
Sábado, 14 Dez 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
OBRAS ILEGAIS AMEA?AM ALDEIAS HIST?RICAS
? necess?rio terminar com as obras ilegais nas aldeias hist?ricas, avisa Jos? Afonso. O delegado regional de Castelo Branco do ex-IPPAR, alerta que se isso n?o for conseguido, o investimento que foi feito, vai ser perdido.
Por César Duarte Ferreira em 16 de Nov de 2007
“Se este processo não parar e não houver  estratégias contra as construções ilegais, dentro de quinze anos todo o investimento feito nas aldeias históricas, superior a 40 milhões de euros, vai ser perdido”, o aviso é feito por José Afonso, delegado regional de Castelo Branco do ex-IPPAR. Aquele responsável mostra-se preocupado com as obras ilegais que proliferam nas aldeias históricas e aponta o dedo as câmaras municipais, que “são permissivas e fecham os olhos” perante esta situação.

As críticas vão também no sentido da falta de estratégias para áreas socais, pois “não se pode tratar pedras e deixar as pessoas a viver em condições infra humanas”.

Admitindo a existência de casos pontuais na rede de aldeias históricas, Paulo Fernandes, vereador com o pelouro do desenvolvimento rural na câmara do Fundão salienta o trabalho de recuperação que tem sido feito por, aquilo que considera “um projecto muito bom, onde apenas as dinâmicas têm falhado”.


  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados