RCB/TuneIn
Quarta, 23 Set 2020
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
PC MEDIC CRIA NOVOS EMPREGOS NO FUNDÃO
Rádio Cova da Beira
A empresa PC Medic pode criar entre 50 a 60 novos postos de trabalho no Fundão no próximo ano. O objectivo foi traçado por Jorge Marques, membro da direcção operacional da empresa e coordenador da estrutura fundanense em entrevista ao programa “Flagrante Directo” da RCB.
Por Nuno Miguel em 27 de Nov de 2015

A empresa tem estado a desenvolver novos projectos na área do atendimento com parceiros europeus e a expectativa passa por, em 2016, reforçar os cerca de 200 postos de trabalho que já existem no concelho “introduzimos agora dois novos projectos que estão em fase de arranque depois de termos feito uma experiência piloto de dois meses com uma empresa da área seguradora e na prática acredito que além deste podem chegar outros projectos semelhantes de países europeus. Nós vamos precisar de pessoas que falem mais de um idioma e temos ai numa área muito importante de crescimento no inglês e no espanhol e acredito que podemos criar no próximo ano mais 50 a 60 novos postos de trabalho se tudo se confirmar”.

 

A transferência de instalações da Covilhã para o Fundão, há cerca de um ano, permitiu à empresa reforçar a sua componente laboratorial e também criar um espaço próprio de atendimento ao público, para além da assistência remota, mas neste momento já desenvolve a sua actividade noutras áreas de negócio “nós normalmente focamos muito a parte tecnológica mas aqui no Fundão a PC Medic não trabalha só com tecnologia; por exemplo hoje as pessoas quando ligam para um determinado número para fazer reservas de bilhetes de cinema essa chamada é atendida aqui no Fundão. Também a área dos inquéritos de qualidade tem crescido muito porque fazemos investigação e desenvolvimento e desenhamos as soluções à medida daquilo que são as necessidades dos clientes e isso acaba por ser um serviço de excelência”.

A PC Medic tem actualmente cerca de dois milhões e meio de clientes e já efectou cerca de seis milhões de reparações. Jorge Marques acredita que esses números podem ainda crescer nos próximos anos com o reforço da introdução da tecnologia em vários domínios “a tecnologia é muito mais abrangente do que uma ligação à internet e não conseguir enviar um mail; è desde o frigorífico ou a máquina de lavar a roupa que já estão ligados à internet e que, por exemplo, já permite fazer a identificação das roupas para fazer a lavagem. Isto faz com que a nossa área de negócio tenha necessidade de se expandir em alguns mercados”.

  Redes Sociais   Facebook

2007—2020 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados