RCB/TuneIn
Sexta, 18 Out 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POL√ćTICA
AMC FAZ BALANÇO
Rádio Cova da Beira
Bancadas com assento na assembleia municipal da Covilhã divididas quanto ao funcionamento do órgão nestes dois anos de mandato. PS e PSD entendem que a liberdade e o escrutínio permanente imperam, CDU diz que os grandes temas do concelho têm estado arredados do órgão, já o Movimento Acreditar Covilhã destaca a falta de respeito do presidente da autarquia pela assembleia.
Por Paula Brito em 29 de Oct de 2015
“O Sr. Presidente da câmara tem tempos próprios para falar, regulamentados, que todos nós aprovámos, nomeadamente no período da informação escrita, e constantemente somos confrontados com temas que nem sequer lá vêm e o Sr. Presidente fala de uma coisa completamente diferente, aconteceu com o PEDU, com o silo auto e com tantos outros, quer fazer show off, é a falta de respeito que existe”. João Bernardo, líder da bancada do MAC, entende que a assembleia municipal da Covilhã tem sido apenas utilizada para legitimar a acção da câmara municipal.

 Já Francisco Moreira, líder da bancada do PSD é da opinião que o escrutínio e a liberdade têm imperado, com uma boa dose de tolerância por parte da mesa “eu já estive em anteriores assembleias municipais e nunca tinha visto uma assembleia municipal escrutinar de uma forma tão permanente como esta assembleia municipal. Há discussão viva, acalorada, com uma tolerância bastante acentuada por quem dirige os trabalhos, o que por vezes é mau.”

Para o líder da bancada do PS, Hélio Fazendeiro, a assembleia municipal é hoje “a casa da democracia da Covilhã, os todos podem intervir e têm-no feito, em todas as assembleia municipais com a abertura, transparência e liberdade de intervenção, e não se compara hoje o escrutínio que é feito por parte da assembleia municipal ao que era feito no passado”.

Apesar de partilhar da ideia de que não existe comparação com anteriores assembleias, Vítor Reis Silva, líder da bancada da CDU entende que “os grandes temas do concelho têm estado arredados do órgão, possivelmente por falta de agenda, dinâmica. Agora é evidente que não se compara o funcionamento da assembleia municipal com os mandatos anteriores e para isso tem contribuído o sr. Presidente da mesa para o bom funcionamento e uma certa abertura na discussão”.

O  balanço de dois anos de mandato da assembleia municipal da Covilhã feito pelos líderes das diferentes bancadas no debate promovido pela RCB.


  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados