RCB/TuneIn
Quinta, 22 Out 2020
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POL�TICA
“GOSTAVA MUITO DE INTEGRAR UM PROJECTO COLECTIVO”
Rádio Cova da Beira
Carlos Pinto está disponível para integrar uma lista candidata às próximas eleições para a concelhia do PSD da Covilhã. O anúncio feito durante uma reunião convocada pelo antigo presidente da câmara municipal e que reuniu várias dezenas de pessoas numa unidade hoteleira daquela cidade.
Por Nuno Miguel em 28 de Sep de 2015

Durante mais de uma hora, Carlos Pinto passou em revista os dois anos do actual mandato para concluir que a Covilhã está doente do ponto de vista municipal e que o PSD deve começar imediatamente a desenhar uma alternativa tendo em vista as eleições autárquicas de 2017. Nesse sentido o ex autarca manifestou a sua disponibilidade para fazer parte de um projecto que possa avançar às próximas eleições para a comissão política “eu gostava muito que saísse daqui um grupo de pessoas, militantes do PSD, simpatizantes que pretendam reinscrever-se e até pessoas que não querem inscrever-se porque preferem não ter filiação e que dentro de breves dias possam anunciar uma candidatura ao PSD. Não tenho nos meus propósitos nenhum projecto pessoal mas gostava muito de integrar um projecto colectivo”.  

O antigo presidente da câmara da Covilhã refere que a eleição de uma nova comissão política deve ocorrer no mais curto espaço de tempo, atendendo à demissão de Pedro Silva da liderança da concelhia. Ao mesmo tempo teceu duras críticas ao facto de o PSD ter celebrado um acordo de incidência governativa com o PS sem definir quaisquer metas a atingir “se isto for uma assembleia do PSD que venha lá o vereador na câmara municipal dar-nos conta dos êxitos obtidos por ter integrado a equipa do PS. Ele está lá por interesses pessoais e ai não pode haver política. Isto chegou a um limite que não é tolerável e quem é do PSD deve mobilizar-se para umas próximas eleições visto que se demitiu o presidente da comissão política e eu acho que não devem ter a veleidade de pensar que o número dois da lista passa a número um porque isso seria uma vergonha porque o PSD está colado a esta câmara e não se colou a 20 anos da anterior câmara”.

Para Carlos Pinto a actual gestão municipal tem sido um desastre e depois dos recentes acontecimentos, que motivaram a retirada da vice presidência a Carlos Martins, o melhor cenário para o concelho seria a realização de eleições intercalares “se houvesse honra política de quem está na câmara havia eleições intercalares já em Janeiro ou Fevereiro mas como eu estou convencido que há hoje interesses cruzados entre o vereador do PSD e de outras forças políticas que lá estão e estranhos à política eu só vejo uma atitude que é preparar 2017 e preparar o partido desde já”.

O ex autarca sublinha que o PSD precisa de uma mudança urgente no concelho da Covilhã. Caso contrário não tem qualquer possibilidade de vencer as próximas eleições autárquicas “alguém imagina que nestas circunstâncias o PSD ganha as eleições; é claro que não. Mas se é isso que nós achamos que é o que serve melhor a Covilhã, provavelmente até temos o Partido Socialista com golpes internos a candidatar Carlos Martins”.  

Nesta reunião Carlos Pinto ouviu vários apelos no sentido de poder avançar com uma candidatura à câmara da Covilhã em 2017. O antigo presidente da autarquia refere que não tem essa intenção, mas refere que serão as circunstâncias a determinar o futuro “eu não quero ser mais presidente de câmara, agora não abdico dos meus direitos de ter participação e de, dentro do quadro municipal, ser aquilo que eu entender em cada momento. Eu não quero mas as circunstâncias da vida é que o hão-de dizer. Eu não ambiciono nada mas tenho esta preocupação sobre o que está a acontecer à nossa cidade e que seria muito melhor se o partido for capaz de produzir esta mudança interna”. 

  Redes Sociais   Facebook

2007—2020 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados