RCB/TuneIn
Sábado, 24 Ago 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POLÍTICA
AUTARCAS EM LUTA
Rádio Cova da Beira
Presidentes de junta de freguesia do concelho da Covilhã onde existem escolas sinalizadas para encerrar no arranque do novo ano lectivo admitem levar por diante novas formas de luta para travar essa intenção do governo.
Por Nuno Miguel em 25 de Aug de 2015
Os autarcas de Cortes do Meio, Aldeia de São Francisco de Assis, Cantar Galo/Vila do Carvalho, Peso/Vales do Rio, Casegas/Ourondo e Barco/Coutada realizaram ontem uma acção simbólica de protesto junto à antiga escola do primeiro ciclo da Bouça para contestar a medida e admitem desencadear outras acções de protesto “depois desta acção se quiserem que nós vamos para Lisboa fazer espectáculo é isso que vamos fazer; não é possível quererem-nos a viver no interior com estas condições, a fechar escolas, extensões de saúde, tribunais e a dizer que isto é para pacóvios. Não aceitamos isso”. 
Pedro Leitão, presidente da união de freguesias de Cantar Galo e Vila do Carvalho, considera que o encerramento de escolas é mais uma medida que contribui para agravar as assimetrias entre o litoral e o interior e refere que o ministério da educação está a faltar ao respeito das juntas de freguesia ao afastá-las de todo o processo “não nos dão conhecimento de nada e depois nem sequer nos avisam se a escola vai fechar ou não. Estamos a menos de um mês de começarem as aulas e os pais não sabem se podem ou não matricular os seus filhos nas escolas que estão sinalizadas, é uma falta de respeito e de decoro para com a vida das famílias”.
Uma das escolas que está sinalizada para encerrar é a de Vales do Rio, que já foi sinalizada para encerrar em 2008 e que desde então tem funcionado como sala de apoio. Rui Amaro, presidente da união de freguesias de Peso/Vales do Rio, refere que não há motivos para que a escola feche portas uma vez que o número de alunos aumentou, tal como foi assumido há um ano atrás quando a questão se colocou “nós cumprimos essa situação, actualmente temos 19 alunos e isso cria é um problema à DREC porque, pela lei, tem de colocar na escola mais um professor e a junta de freguesia, a expensas próprias, já avançou com a requalificação de mais uma sala de aula”.
Cortes do Meio tem sinalizada para encerrar a escola da sede da freguesia depois de em 2007 já ter fechado o estabelecimento de ensino que funcionava na Bouça. Uma situação muito preocupante para a aldeia, afirma o secretário da junta de freguesia, David Bizarro “para além do encerramento da escola, assistimos a mais docentes e auxiliares que vão para o desemprego e é toda uma dinâmica que se perde tanto mais que vemos que continua a sair gente da freguesia porque não há as condições mínimas para as famílias poderem deixar as suas crianças e é claro que isso nos deixa muito preocupados”.
Na acção de ontem apenas não marcaram presença os autarcas de Orjais e de São Jorge da Beira.

  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados