RCB/TuneIn
Terça, 10 Dez 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
MEDUBI CONTESTA ABOLIÇÃO DO ANO COMUM
Rádio Cova da Beira
O presidente do Medubi – Núcleo de Estudantes de Medicina da Universidade da Beira Interior - discorda da abolição de um ano na formação médica, a propósito da portaria anunciada pelo secretário de estado da saúde que elimina a partir de 2017 o ano de internato geral.
Por Paula Brito em 30 de Jul de 2015
A medida, que já foi contestada pelo bastonário da ordem dos médicos, também não agrada presidente do Núcleo de Estudantes de Medicina da Universidade da Beira Interior “porque o ano comum é o ano do aperfeiçoamento das capacidades dos alunos que vêm de faculdades completamente distintas, e nós precisamos de homegeneizar algumas práticas e garantir que todos os alunos de medicina quando entram para a especialidade tenham essas capacidades bem presentes, é muito importante não extinguir o ano comum”.

Paulo Ricardo Pinheiro alerta no entanto para o facto da medida, apesar de publicada em Diário da República, não dever ser implementada sem que estejam reunidos alguns pressupostos, que o próprio decreto lei aponta “como o facto da extinção ficar dependente da criação de um grupo de trabalho que vai analisar a profissionalização do sexto ano, não faz sentido extinguir o ano comum quando ainda não temos parecer desse grupo de trabalho que foi criado”.

O presidente do Medubi discorda do secretário de estado quando diz que a formação de um médico em Portugal é muito longa “embora estejamos a falar de 10 a 12 anos de formação, a verdade é que essa formação e duração são essenciais porque trata-se de um curso com uma complexidade muito grande, estamos a falar de tratar de vidas, de pessoas, faz todo o sentido essa aprendizagem”.

Em declarações à RCB, Paulo Ricardo Pinheiro deita também por terra o argumento do governante de que Portugal precisa de se aproximar da Europa ao nível do tempo de formação “exemplo disso são o Reino Unido e a Dinamarca onde existe não um ano comum mas dois”.


  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados