RCB/TuneIn
Terça, 10 Dez 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
STBB: LU√ćS GARRA REELEITO
Rádio Cova da Beira
Lu√≠s Garra foi reeleito, por unanimidade, presidente da direc√ß√£o do Sindicato T√™xtil da Beira Baixa (STBB), na primeira reuni√£o dos 32 eleitos para os diversos corpos sociais: 15 candidatos pela primeira vez, 17 transitaram dos anteriores √≥rg√£os sociais. Fica assim cumprido um dos principais objectivos do novo mandato, ¬ďo rejuvenescimento e renova√ß√£o do sindicato¬Ē. Um objectivo dif√≠cil, admite Lu√≠s Garra, uma vez que o sector perdeu, nos √ļltimos 3 anos, mais de 400 postos de trabalho no distrito.
Por Paula Brito em 25 de Jul de 2015
Na cerimónia de tomada de posse, Garra respondeu aos que o acusam de se perpetuar no lugar “para que não haja aqueles que de forma cobarde nos acusam de estarmos instalados no poder, neste sindicato ninguém é nomeado, não há lugares cativos, todos somos eleitos e só cá estamos enquanto os trabalhadores quiserem, aqueles que usam as tribunas públicas, nomeadamente a câmara municipal, para nos atacar e denegrir, aqui levam a resposta”.

Emprego, salários e direitos são os principais objectivos do mandato. A começar já pela negociação dos contratos colectivos de trabalho no sector, que tem uma reunião decisiva no próximo dia 19 de Agosto “se nessa reunião não houver acordo é inevitável que os trabalhadores, no regresso de férias, tenham que decidir entre ficar como estão ou lutar para ganhar mais alguma coisa, as entidades patronais dos lanifícios têm que saber que da nossa parte vão contar com uma reacção e ficam a saber também que no caso do distrito de Castelo Branco não estamos à espera que o todo nacional venha connosco, porque se for necessário vamos sozinhos e agir de empresa a empresa”.

Com as legislativas à porta e as presidenciais e espreitar, o sindicato têxtil da Beira Baixa já traçou uma estratégia para os dois actos eleitorais. O STBB tem uma intervenção política, mas não partidária, admite Luís Garra, por isso não vai apelar ao voto “mas vamos dizer com clareza que é preciso aproveitar estas eleições para combater a política de direita, e também já temos decidido que nas presidências vamos fazer tudo por tudo para que não seja lá posto o siames de Cavaco Silva, porque Cavaco Silva foi uma desgraça que se abateu sobre Portugal”.

Na tomada de posse o presidente da câmara municipal da Covilhã, Vítor Pereira, saudou os eleitos e aproveitou a plateia para partilhar uma “revolta” que é “o desenfreado ataque aos direitos dos trabalhadores portugueses como se fossem os culpados da crise que o capital criou e gerou”.

Presente na cerimónia esteve também Armando Farias, dirigente da CGTP-IN que tem o seu congresso agendado para o início do ano. Até lá, a CGTP irá ultrapassar os 100 mil sindicalizados, garantiu aquele responsável.

No final da tomada de posse os 32 eleitos reuniram para eleger a direcção que é composta por Luís Garra na presidência, Ressureição Fernandes (Twintex) é vice presidente, Aurélio Madeira (Paulo de Oliveira) foi eleito tesoureiro, Ana Cristina Alves (Dielmar) primeira secretária e Bruna Madaleno (Benoli) segunda secretária.

Na reunião do próximo mês de Setembro será eleita a comissão executiva do sindicato têxtil da Beira Baixa composta por 7 dos actuais 20 elementos da direcção.


  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados