RCB/TuneIn
Segunda, 17 Dez 2018
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POL√ćTICA
CMC APROVA CONTAS CONSOLIDADAS
Rádio Cova da Beira
A C√Ęmara da Covilh√£ aprovou esta manh√£ as contas consolidadas do munic√≠pio. Pela primeira vez tamb√©m com as empresas Parkurbis e ADC, que n√£o s√£o detidas a 100% pela autarquia. V√≠tor Pereira recorda que qualquer leitura dos n√ļmeros tem que ter em conta n√£o s√≥ esta nova situa√ß√£o, como tamb√©m a incorpora√ß√£o da extinta SRU (Sociedade de Reabilita√ß√£o Urbana) e da Sociedade Polis, em fase de liquida√ß√£o.
Por Paula Brito em 19 de Jun de 2015
Quanto à leitura do presidente da câmara da Covilhã “a minha leitura é que continua a haver rigor e tratamento atento em matéria económica e financeira das empresas municipais. Continuo a dizer que qualquer leitura que seja feita sobre estes resultados tem que ter em conta que está lá incluído o que é imputável aos nossos parceiros privados”, recordando que a CMC detém 66% no Parkurbis e 51% na ADC (Águas da Covilhã).

Salvaguardando as respectivas diferenças em relação às contas da autarquia aprovadas no passado mês de Abril, Pedro Farromba destaca o resultado líquido negativo de cerca de 2 milhões de euros e outros números que considera preocupantes e que levaram o vereador do Movimento Acreditar Covilhã a votar contra “houve um aumento de 8% na dívida a terceiros de médio e longo prazo. Na de curto prazo o aumento foi de 211%, só nesta rubrica os fornecedores de conta corrente aumentaram 245%. Mesmo retirando daqui a percentagem dos privados em relação às empresas municipais, são sempre números significativos e que nos devem preocupar”.

Para além de Pedro Farromba, também José Pinto votou contra as contas consolidadas do município da Covilhã. O vereador da CDU ficou “de pé atrás” com a ausência do parecer do Revisor Oficial de Contas (ROC) “o facto do ROC da ADC e da Icovi tornarem claro qual seria o seu sentido de voto, e que seria positivo, este ROC nã deixa isso de forma clara e isso deixa-nos preocupados”´.

Com os votos contra dos vereadores da CDU e MAC, e a abstenção de Nélson Silva, as contas consolidadas do município da Covilhã foram aprovadas por maioria numa reunião onde esteve ausente o vice presidente da autarquia, Carlos Martins.   


  Redes Sociais   Facebook

2007—2018 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados