RCB/TuneIn
Segunda, 17 Dez 2018
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POLÍTICA
AUTARCAS TROCAM ACUSAÇÕES
Rádio Cova da Beira
Dois meses depois de ter votado contra o relatório de gestão da junta de Peraboa o eleito do PSD na assembleia de freguesia vem, pela primeira vez, pronunciar-se sobre o tema. Declarações que já motivaram a resposta do presidente da junta de freguesia.
Por Nuno Miguel em 19 de Jun de 2015
Marco Aurélio refere que nos últimos meses não tomou qualquer posição pública “optando por diligenciar contactos de forma reservada para evitar que no futuro” os documentos “voltem impregnados dos mesmos defeitos” e sublinha em comunicado que decidiu votar contra os documentos por apresentarem um desvio orçamental superior a 80 mil euros “o orçamento aprovado foi de 205 mil euros e sem qualquer justificação o valor que aparece no relatório e contas é de 286 mil” e acrescenta que “em rúbricas classificadas como «outros» surgem 17 mil euros de despesas e quando foi questionado sobre o tema o presidente da junta de freguesia nada disse”.
O eleito social democrata acrescenta que o presidente da junta de freguesia tem manifestado que está tranquilo em relação à não aprovação das contas e por isso aguarda que o tribunal de contas se pronuncie sobre a matéria. Marco Aurélio deixa por isso duas questões ao autarca “porque não pede um parecer do documento ao tribunal de contas acelerando todo o processo ? Porque não levar as mesmas contas a votação a uma nova reunião da assembleia da freguesia ?”. 
Neste comunicado o eleito do PSD refere que “no último ano e meio foram reprovados dois orçamentos, aprovada por maioria uma moção de protesto ao executivo e reprovado o relatório e contas de 2014. Um «score» difícil de bater e que atesta bem a competência do trabalho de Sílvio Dias e demais membros à frente da junta de freguesia de Peraboa” desafiando mesmo o presidente da câmara da Covilhã e o líder da concelhia socialista a “apoiarem e assinarem o relatório e contas apresentado por Sílvio Dias”.
Marco Aurélio sublinha ainda que “atingido este ponto de situação a junta de freguesia de Peraboa entrou em desequilíbrio político conferido pela reprovação das contas de 2014 que nem os eleitos do PS tiveram coragem de aprovar. É um caso de má gestão”. O eleito social democrata afirma que “o novelo de fios no qual se meteu o presidente da junta de Peraboa, Sílvio Dias, para o qual arrastou os restantes membros do executivo levam a pensar que o fim deste descalabro está marcado para breve”.
Na resposta o presidente da autarquia de Peraboa refere que “esse senhor tem fome política e quer chegar ao poder de qualquer forma e já que não conseguiu ganhar as eleições tenta chegar ao poder atacando o presidente da junta de uma forma desconstrutiva e não faz mais nada desde que entrou do que andar a massacrar o presidente da junta em vez de o ajudar e ajudar também as pessoas da terra”.
Sobre o envio dos documentos para o tribunal de contas, Sílvio Dias refere que “eu não sei qual é a pressa que este senhor tem porque o tribunal de contas vai dar o seu parecer e ele vai ter acesso a isso; de qualquer forma continuo a dizer que não são relevantes as atitudes desse senhor, ele nunca deu nada à freguesia a não ser projectos utópicos como é o caso de uma praia fluvial onde não existe água portanto este senhor não é credível”.
O autarca de Peraboa garante ainda que, ao contrário do que afirma o eleito do PSD, a freguesia não tem uma má gestão nem está em desequilíbrio político “em nada; aliás quem anda na rua como eu andei toda esta semana a ajudar a montar os stands para a feira da chavelha que começa hoje e a falar com elas prova bem que não há desequilíbrio nenhum; se calhar a forma de ele estar na política é sentado a uma secretária ou então a tirar fotografias mas eu ando com as pessoas. Sou presidente da junta, tenho as minhas responsabilidades e tenho a consciência tranquila”.  

  Redes Sociais   Facebook

2007—2018 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados