RCB/TuneIn
Sexta, 29 Mai 2020
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
PROPOSTAS CHUMBADAS
Rádio Cova da Beira
A assembleia geral da Sanicobe rejeitou esta manhã as duas propostas que foram apresentadas para a alteração de estatutos da associação de defesa sanitária da Cova da Beira.
Por Nuno Miguel em 25 de May de 2015

A primeira proposta foi apresentada pelo conselho fiscal da organização, que apontava para uma reformulação do documento e que foi chumbada com 85 votos contra, 72 a favor e duas abstenções. A outra proposta foi apresentada pelo sócio Manuel Carvalho, que propunha a alteração de apenas duas alíneas dos actuais estatutos, que teve 69 votos a favor, 42 contra e duas abstenções, mas não reuniu os três quartos de votos necessários para entrar em vigor.

 

No final dos trabalhos o presidente da direcção, Lourenço Proença, refere que uma vez que não foi possível proceder à alteração “ficam os estatutos velhos tal como estavam até que um dia haja condições para se aprovar a sua revisão; até lá a Sanicobe continua a reger-se pelos estatutos que tem. Isto tem de se clarificar, estamos à espera de decisões do tribunal e vamos ver quais serão essas decisões”.

 

Certo é que os trabalhos terminaram no meio da contestação de vários associados, que pretendiam também ver discutido o ponto referente à oportunidade de convocação de novas eleições. No entanto o presidente da assembleia geral acabou por terminar os trabalhos antes disso. António Pinto Castelo Branco refere que o assunto só poderia ser colocado em cima da mesa caso alguma das propostas de revisão tivesse sido aprovada “como não foi aprovada eu decidi dar o cumprimento do que estava determinado e terminar a assembleia. É o que diz a ordem de trabalhos e é aquilo que foi decidido pela senhora juíza da última vez que nos encontrámos em tribunal”.

 

A postura dos associados que contestaram a decisão foi também duramente criticada pelo presidente da direcção da Sanicobe “isto não é para ser assaltado com planeavam porque este filme de terror que aqui praticam já o praticaram no lagar que eu um dia cheguei para se manter na mesa e não me deixaram e eu era o presidente da direcção; aqui devem vir só os sócios. Quem não é que não venha. Esperamos pelo tribunal e depois vamos falar”.

 

Manuel Carvalho, que apresentou a proposta que obteve mais votos a favor para a revisão dos estatutos, refere que é preciso que a verdade regresse ao seio da Sanicobe “as propostas para a revisão dos estatutos não obtiveram os votos suficientes exigidos por lei mas deveríamos ir ao terceiro ponto que é as eleições e é isso que está em causa; nós desde o dia 27 de Outubro, que foi o dia em que aconteceu aquela fraude em que não deixaram concorrer a nossa lista, só queremos é que a verdade nesta casa seja reposta porque isto nada é verdade”.  

 

Já para Pedro Fiadeiro, que no último acto eleitoral encabeçou a lista que não foi submetida a sufrágio, refere que “os sócios são soberanos para decidir se querem ou não fazer um acto eleitoral e foi isso que devia ter acontecido em Março e não aconteceu; estes senhores continuam a armadilhar as convocatórias porque a interpretação que se faz da aprovação dos estatutos não tem que ter o significado de rejeição ou aprovação; aprovação é um termo lato e que juridicamente se entende como a passagem da discussão para a avaliação da assembleia relativamente ao mesmo”.

 

O associado da Sanicobe critica ainda a postura dos actuais órgãos sociais em não quererem debater a alteração de estatutos de forma conjunta “para se passar à resolução dos problemas que estão implicados nesta ordem de grandeza de trabalhos, que tem sido do mais vergonhoso que pode acontecer, não há necessidade de haver alteração de estatutos. Os estatutos que existem não são bons, poderiam ser perfeitamente melhorados, estamos disponíveis e tínhamos intenção de apresentar uma proposta de alteração ao projecto de estatutos que foi apresentado pelo conselho fiscal. Não o entenderam assim, já em Março não o entenderam, querem apresentar a proposta deles e ela foi reprovada; mais do que isto não posso fazer”. 

 


  Redes Sociais   Facebook

2007—2020 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados