RCB/TuneIn
Segunda, 01 Jun 2020
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POL�TICA
CMC: DISCUSSÃO ACESA
Rádio Cova da Beira
Carlos Martins acusa o eleito da CDU na câmara municipal da Covilhã de querer continuar a mandar na junta de freguesia da Boidobra. O tema motivou uma acesa troca de argumentos na última reunião pública do executivo.
Por Nuno Miguel em 20 de May de 2015
Tudo começou com uma intervenção de José Pinto onde o eleito da CDU afirmou que a união de freguesias da Covilhã e Canhoso deveria assumir um papel mais interventivo na resolução dos problemas das pessoas, deixando como exemplo a questão dos caminhos rurais “manifesto aqui o meu descontentamento pelo facto de o caminho das sete fontes, que eu já há um ano que pedi para ser intervencionado e os moradores entregaram à câmara um abaixo assinado, e até hoje não viram sequer uma pá de saibro. Eu gostava que a união de freguesias da Covilhã e do Canhoso tivesse um papel mais interventivo no que diz respeito aos caminhos porque é a junta que mais dinheiro recebe no concelho, até mais do que algumas câmaras, e não a vejo com dinâmica porque é a que tem mais meios e encosta-se à câmara municipal o que é um pouco estranho”.   
Uma intervenção que acabou por motivar a resposta do vice presidente da câmara da Covilhã que lançou um desafio a José Pinto “eu vou pedir ao presidente da união de freguesias da Covilhã e do Canhoso que me faça chegar um relatório da sua actividade desde o inicio do mandato e peço-lhe a si para pedir ao presidente da junta de freguesia da Boidobra que faça também um relatório da actividade até este momento porque insinuar que a união de freguesias é aquela que tem mais dinheiro não lhe fica bem. Quer dizer que nós estamos a dar mais dinheiro? O senhor tem de ir mais vezes à área geográfica dessa união de freguesias para ver as intervenções desta freguesia”. 
Carlos Martins acrescentou que “onde não têm havido dinâmica é na freguesia da Boidobra porque já teve de haver novamente eleições e nós sabemos porquê. É que eu já falei com o presidente que se demitiu que foi uma pessoa que o acompanhou a si durante vários anos. Quem manda na união de freguesias da Covilhã e do Canhoso são os responsáveis que lá estão mas quem queria mandar na freguesia da Boidobra certamente era o senhor. E a prova disso foi a demissão do anterior presidente da junta”.
Uma intervenção que motivou uma resposta imediata do eleito da CDU. José Pinto dirigiu-se ao vice presidente da câmara da Covilhã e afirmou “desafio-o a provar isso; prove lá que intervenção é que eu tive na demissão”. 
Desafiado a tornar público o conteúdo das conversas que manteve com o antigo presidente da junta da junta da Boidobra, Carlos Martins afirma que só o vai fazer no momento que considerar oportuno “eu vou dizer mas quando considerar que é a altura própria; agora não digo, mas quem é que manda em mim?” interrogou, para acrescentar de seguida “em si é que manda o Partido Comunista, porque o senhor recebeu um convite para assumir o lugar de vereador em regime de permanência e não sendo militante desse partido a sua consciência foi olhar para a foice e para o martelo”. José Pinto rematou o assunto afirmando “foi para não passar dissabores como já passou o vereador Joaquim Matias” embora o vice presidente da câmara da Covilhã tenha afirmado que “ele ainda não passou dissabores nenhuns”.   

  Redes Sociais   Facebook

2007—2020 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados