RCB/TuneIn
Domingo, 15 Dez 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
CENTEN√ĀRIA DE ATALAIA DO CAMPO
Rádio Cova da Beira
Nasceu no dia 25 de Abril de 1915. Maria Lucinda Pereira mora no Lar Nossa Senhora de F√°tima no Fund√£o ¬Ė val√™ncia da Santa Casa da Miseric√≥rdia do Fund√£o - desde 30 de Setembro de 2010. Naquela que √© hoje a sua casa realizou-se uma festa que reuniu duas dezenas de familiares.
Por Dulce Gabriel em 27 de Apr de 2015
 

“Foi Deus que quis que eu fizesse cem anos”, afirmou à Rádio Cova da Beira Lucinda Pereira. Uma mulher de negro e cujo rosto denota uma vida marcada pelos trabalhos no campo e por algumas doenças e desgostos. Desde logo a perda de quatro dos seus cinco filhos. Resta-lhe Natália Figueiredo de 64 anos de idade e que no dia dos 100 anos da mãe lhe organizou uma festa que reuniu no lar vinte familiares entre sobrinhos, primos, netos uma cunhada e a filha. Na ocasião Maria Lucinda partilhou com a RCB fragmentos de uma história de vida dedicada à agricultura mas também vincada pelas doenças que sempre conseguiu debelar. Assim aconteceu com um problema nos rins, com uma úlcera e um pé que partiu. “Aos 72 anos tiraram-me um rim. Foi no hospital velho lá da Covilhã onde fiquei alguns dois meses. Aquilo era cancro e foi o doutor Ferreira Pinto que me operou e salvou. Foi uma operação muito rigorosa mas estou aqui graças a Deus”, disse a centenária de Atalaia do Campo. Lucinda Pereira é uma mulher “lúcida mas nem sempre autónoma”, referiu a família e equipa técnica do Lar Nossa Senhora de Fátima. “A casa de dona Lucinda”, referiu o provedor da Santa Casa da Misericórdia do Fundão. Jorge Gaspar que participou no convívio de aniversário da centenária sublinhou a “longevidade e espírito de família” que marcam a vida de uma mulher nascida no dia 25 de Abril de 1915.


  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados