RCB/TuneIn
Segunda, 21 Out 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POL√ćTICA
25 ABRIL NA COVILH
Rádio Cova da Beira
Sessão solene comemorativa dos 41 anos do 25 de Abril na Covilhã ficou marcada por várias críticas à situação que o país actualmente vive.
Por Nuno Miguel em 25 de Apr de 2015
 

Para Jorge Fael, da bancada da CDU, está a assistir-se, por parte do actual governo, a uma desforra em relação a algumas das principais conquistas da revolução e a que importa por cobro

 

"Hoje assistimos a uma clara desforra contra o 25 de Abril. Asfixia-se o poder local ao mesmo tempo que se empurram para os municípios funções sociais  estruturantes que só o Estado pode assegurar ed forma equitativa em todo o território. Prosseguindo o criminoso processo de privatizações imposto ao longo das últimas décadas  este Governo vendeu a ANA, EDP, REN, os seguros da CGD, a CIMPOR a PT, CTT, a EGF, os Estaleiros Navais, o mesmo objectivo privatizador que está na base na chamada reestruturação do sector da água. Com estas privatizações o país fica sem instrumentos decisivos par ao seu desenvolvimento e sem receitas para pagar a dívida. Os preços aumentam e os serviços pioram consequências que conhecemos bem no nosso concelho com as PPP do estacionamento e a privatização da água"   "  

 

Sandra Soares, da bancada do PSD, refere que quando o actual governo assumiu funções encontrou o país numa situação de pré bancarrota pelo que foi urgente tomar medidas que permitissem evitar esse cenário.

Com a situação agora mais estabilizada, a eleita social democrata, refere que há que continuar a cumprir Abril, nomeadamente em áreas como o apoio social e o desenvolvimento regional

 

"Agora que a nossa economia retomou o seu crescimento , que o emprego está a gerar mais oportunidades aos portugueses precisamos de manter sustentada esta capacidade  de resposta social das políticas públicas. Precisamos de continuar a caminhar com prudência mas, cada vez mais, com resposta que possam ir ao encontro de necessidades muito grande que ainda são sentidas no nosso país, seja ao nível do desemprego seja ao nível daqueles que com mais idade acabaram por sofrer, um pouco mais. os efeitos crise.  Fazer Abril continuando a garantir mais coesão e mais justiça social. Só um país com as contas em ordem pode salvar o Estado Social".

 

 

João Bernardo, representante do movimento “Acreditar Covilhã” considera que há ainda muito a fazer, por parte do actual executivo, para que se cumpram algumas das principais conquistas da revolução

 

"É a constatação de que na Covilhã ainda há muito por fazer em matéria de liberdade de expressão e de exercício democrático de poderes. Na verdade,  quando o poder se exerce de uma forma mais ou menos absoluta, onde nem sequer se respeita o cumprimento das mais elementares obrigações de informação perante os mais órgão eleitos; quando nem sequer se dignam responder às interpelações formalmente realizadas , o que poderá esperar o cidadão pelo respeito das sus posições e interpelações. Muito há a fazer. No que respeita aos desafios do nosso concelho na concretização dos ideais que Abril preconiza, eles estão aí , hoje as ameaças da perda de poder de decisão e de serviços numa velada mas anunciada rescentralização  universitária e numa reorganização da administração de saúde são os próximos grandes desafios e testes à nossa capacidade de afirmação e intervenção pública e política".  

 

 

Catarina Mendes, da bancada do PS, considera que para cumprir Abril importa dizer basta a muitas das políticas seguidas pelo actual governo

 

" Actualmente neste dia, assinalar Abril é dizer basta. Basta  de se insistir em políticas que caracterizam o povo português apenas em números , estatísticas, deficit e divida pública. É preciso outro rumo, é preciso uma alternativa que devolva ao povo a esperança num país que ofereça verdadeiras oportunidades aos seus cidadãos. O PS propõem-se protagonizar esta mudança e para tal apresentou recentemente as propostas alternativas às actuais políticas. Estas propostas pretendem promover o crescimento económico com igualdade de oportunidades e valores sociais compatíveis com uma democracia moderna, transparente e respeitadora dos ideais de Abril".

 

 

Já o presidente da assembleia municipal sublinha que o 25 de Abril permitiu contribuir para melhorar a qualidade de vida das populações e trazer para a região alguns índices de desenvolvimento. Manuel Santos Silva sublinha que o próximo passo para continuar a cumprir os ideais da revolução deve ser o do diálogo e do trabalho em cooperação

 

"O futuro desta região  depende do conhecimento profundo das suas múltiplas linguagens assente em diálogos de partilha enquadrada numa franja  espacial bastante longa tem que saber tirar proveito da sua geografia quer física quer humana. É tempo de diálogo, é tempo de soluções conjuntas, é tempo de se unirem esforços no sentido do bem-estar e do desenvolvimento das populações. É tempo de todos pensarmos que a inclusão de energias em projectos comuns irá revitalizar a vida da cidade e da região e qu eo eixo de desenvolvimento Guarda, Covilhã , Castelo Branco se torna uma verdadeira realidade". 

 

 

Comemorações do 25 de Abril na Covilhã que prosseguiram esta tarde com a inauguração do novo elevador do jardim público e da requalificação das instalações da sede da junta de freguesia de Cortes do Meio.

  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados