RCB/TuneIn
Sábado, 15 Ago 2020
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
PERCENTAGEM REDUZIDA
Rádio Cova da Beira
Há ainda um longo caminho a percorrer para garantir a sustentabilidade energética no sector do turismo. Esta é a principal conclusão de um estudo realizado pela empresa “Enforce”, encomendado pela “Turismo de Portugal” e pela associação nacional dos hoteleiros e que permitiu concluir que apenas 11 por cento dos hotéis estão certificados ao nível da eficiência energética.
Por Nuno Miguel em 29 de Mar de 2015

Ana Oliveira, coordenadora deste projecto, espera que o estudo possa permitir definir linhas de actuação no sentido de poder aumentar esse número dado que se trata de um trabalho inédito em Portugal “nós temos um número estimado de edifícios associados à hotelaria que não inclui só os grandes hotéis mas também alojamentos locais e turismo rural e o que fizemos foi comparar o número de certificados emitidos com o número de edifícios e essa percentagem não vai além dos 11 por cento; isso significa que nos outros nós não sabemos se estão isolados ou se os sistemas utilizados são eficientes e o problema que se coloca é que se não sabemos o que vamos encontrar também não sabemos como intervir e é para isso que serve o certificado”.

Já o presidente da associação de hoteleiros de Portugal sublinha que os custos associados à energia são uma das principais preocupações para o sector, que neste momento está a suportar um défice tarifário muito elevado com o aumento das taxas de acesso à rede que foi implementado no início deste ano “neste momento os hotéis e as empresas em geral estão a suportar esse défice que é enorme porque o aumento das tarifas de acesso à rede foi de 30 por cento no início do ano e esse item representa cerca de 40 por cento do preço do kilowatt qualquer tentativa de uma unidade negociar um melhor preço para o fornecimento de energia eléctrica é imediatamente deitada por terra”.  

Luís Veiga acrescenta que “o preço da água, da energia e do gás representa cerca de dois terços dos encargos com o pessoal o que é um montante brutal e incomportável para a maioria das empresas nacionais e mais uma vez ficou provado que independentemente das soluções que se possam encontrar o facto de o governo não intervir deita por terra esse esforço que é feito”.

O representante da “Turismo de Portugal” nesta iniciativa destaca a importância de mais unidades hoteleiras poderem estar certificadas ao nível energético. Para isso Nuno Fazenda refere que há medidas especificas no próximo quadro comunitário de apoio que podem ser importantes para os empresários, sendo que o montante de apoio a novos projectos vai ser definido em função das questões da sustentabilidade “isso está previsto na estratégia «Europa 20 20» e também no «Portugal 20 20», que enquadra os fundos comunitários, e a dimensão da eficiência energética é muito relevante, sobretudo também muito importante para a área do turismo, e por isso a questão está prevista no próximo quadro comunitário de apoio e os números que este estudo mostra podem de facto vir a crescer”.  

  Redes Sociais   Facebook

2007—2020 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados