RCB/TuneIn
Domingo, 20 Out 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
PROCESSO COMPLEXO
A delega??o de compet?ncias, na ?rea da educa??o, para os mun?cipios n?o ? um processo pac?fico. A opini?o ? do vice-presidente da c?mara municipal da Covilh?, que aponta a complexidade do processo, como a raz?o principal para a demora na resolu??o deste ponto.
Por César Duarte Ferreira em 28 de May de 2009
João Esgalhado refere que, os municipios não podem aceitar esta delegação, de ânimo leve, porque é mais uma forma do governo reduzir despesas: “nós achamos que é mais uma forma do governo reduzir os custos com a administração central. Agora, as compesações a dar aos munícipios não devem ser inferiores aos custos deste processo, porque se não o processo de aprendizagem pode ficar comprometido.”

O autarca, em declarações à RCB, revela que estão a decorrer reniões entre o municipio e responsáveis do ministério, tendo em vista este processo, mas que para já, ainda não estão reunidas as condições para a câmara municipal aceitar a delegação: “quanto ao município da Covilhã ainda não estão reunidas as condições para aceitarmos o processo. Continuamos a reunir e já existiram alguns avanços.”

Um processo muito complexo, onde o autarca espera mais garantias do governo, para que a delegação de competência não comprometa o processo educativo.


  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados