RCB/TuneIn
Domingo, 20 Out 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
DESPORTO
DISTRITAL CASTELO BRANCO - PROEN?A - AD FUND?O
Vit?ria merecida da Desportiva do Fund?o mas os n?meros s?o um castigo pesado para o Proen?a.
Por José Joaquim Ribeiro em 22 de Oct de 2007

Nos primeiros 25minutos o Proença foi melhor e criou três oportunidades para marcar, valeu a atenção de Tiago, com duas boas defesas e Pedro Costa, que salvou sobre a linha de golo.

A Desportiva não entrou bem e contra a corrente do jogo marcou, aos 26', na primeira oportunidade de que dispôs. Bom golo de Rui Pedro.

Com o golo sofrido o Proença desorganizou-se e a Desportiva passou a controlar e veio a marcar o segundo aos 36'. Rui Paulo outra vez na jogada, com uma abertura espectacular isola Cristian que com muita classe fez um chapéu a Almeida.

No reinicio o Proença continuou a acreditar que era possível chegar ao golo, o que conseguiu aos 52', por Esteves. Um golo irregular porque Pedro Costa, com a bola dominada é empurrado, como o auxiliar do árbitro nada assinalou, Bino aproveitou a benesse, cruzou e Esteves de primeira e com um remate feliz bate Tiago.

A Desportiva defendia e até ao minuto 85 raramente saía para o ataque, apenas o fez uma vez, aos 73'. Rui Paulo, excelente, entra pela direita mete a bola ao 2º poste e Cristian, infantil, falha um golo cantado.

O Proença teve a iniciativa do jogo praticamente durante toda a segunda parte, mas criou poucas situações de golo. A Desportiva do Fundão deu a iniciativa à espera do erro do adversário, uma estratégia que resultou. O experiente Bernardo, aos 86', cometeu um erro primário. Sem cobertura quis passar Rui Paulo, este roubou-lhe a bola, caminhou para a baliza, podia ter tentado o golo, mas com muita classe mete-a para a entrada de Pina que tirou Almeida do caminho e rematou para a baliza deserta.

Com o terceiro golo fundanense o Proença baixou os braços e nos últimos 10 minutos - o árbitro deu 6 de compensações -  a Desportiva dominou e veio a chegar ao 4-1 por David. Boa jogada colectiva, André Cunha entra pela direita, cruza tenso, Rui Paulo remata, Almeida defende e na recarga David não perdoa. A eficácia da ADF foi mortífera e castigou em demasia a voluntariosa equipa do pinhal.

Ricardo Alexandre, o árbitro do encontro,  teve um trabalho complicado e nem sempre foi feliz nas sua decisões. O golo do Proença é um lance que não podia ser sancionado. Na expulsão de José Esteves, o técnico da equipa da casa, nada a dizer, foram por demais evidentes os protestos no lance do primeiro golo da ADF - Ricardo Morais terá jogado a bola com o braço ? - .

 

Leal Martins


  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados