RCB/TuneIn
Sexta, 18 Out 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
CULTURA
“GAMA – O HERÓI IMPERFEITO”
Rádio Cova da Beira
É este o título da obra do escritor covilhanense João Morgado que venceu a primeira edição do concurso literário “António Alçada Baptista”. A iniciativa foi lançada pela câmara municipal da Covilhã e tem como principal objectivos, através da apresentação de textos inéditos, incentivar a produção literária e a difusão da língua Portuguesa.
Por Nuno Miguel em 30 de Jan de 2015
Na cerimónia de entrega do prémio, que coincidiu com a data de nascimento de António Alçada Baptista, o escritor covilhanense não escondeu a sua satisfação pelo facto de ser o primeiro vencedor do concurso que tem como patrono uma personalidade que sempre admirou “é importante nós recuperarmos as nossas figuras, que fazem parte da nossa memória colectiva e da nossa cultura e este prémio, que nos vem recordar Alçada Baptista e a sua obra, é de uma importância enorme e eu fico muito honrado pelo facto de ficar ligado a este prémio porque ele foi também uma pessoa que eu admirava bastante, que foi uma das minhas referências literárias e que eu tive o privilégio de ainda conhecer pessoalmente”. 
Cristina Vieira, presidente do júri, explicou os motivos que levaram a atribuir o primeiro prémio deste concurso ao romance histórico de João Morgado “a qualidade da escrita que nos deleita, num uso harmonioso de um Português que sentimos como mais arcaico para se coadunar à época em que a história e o seu protagonista, Vasco da Gama, se inscrevem e a legibilidade desse mesmo Português, não se tornando opaca a leitura da obra, e que demonstra ser divertida, poética, directa nas questões que levanta e que suscita expectativa”. 
Vítor Pereira, presidente da câmara municipal da Covilhã, destaca o lançamento deste prémio como um marco na estratégia de dinamização cultural do concelho que a autarquia tem vindo a implementar “o prémio António Alçada Baptista constitui para mim e para todo o executivo um motivo de dupla satisfação; por um lado ele afirma-se como um marco na estratégia cultural por nós encetada e também representa uma questão de justiça no reconhecimento a uma das personalidades mais marcantes no domínio cultural em Portugal durante o século XX; com este prémio literário prestamos um modesto reconhecimento a um cidadão que por actos e criações deixa o seu nome marcado na história do nosso país”.
A conquista da primeira edição deste concurso literário valeu a João Morgado um prémio monetário de 1500 euros e ainda a edição de 500 exemplares desta obra. O júri decidiu ainda entregar uma menção honrosa ao trabalho “dois descarrilamentos e um olho de vidro” apresentado pelo escritor Joaquim Anacleto.

  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados