RCB/TuneIn
Terça, 10 Dez 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
DESPORTO
SPORTING DA COVILH?...VERS?O CANDIDATO!
O Sporting da Covilh? venceu em Castelo Branco, o Benfica local por 3 bolas a Zero. Um resultado que espelha a supremacia dos le?es da Serra agora orientados por Rui Fran?a.
Por Rui Fazenda em 21 de Oct de 2007

O Sporting da Covilhã venceu o Derbi da Beira Baixa, batendo o Benfica de Castelo Branco, no Vale do Romeiro por uns expressivos 0-3.

Desde cedo se viu que o Sporting da Covilhã vinha a Castelo Branco para mostrar a sua condição de candidato a subida de divisão.

Logo aos 8' Sergio Rebordão, na transformação de um livre directo, levou a bola a beijar a barra da baliza de Carlos Soares. Foi o primeiro sinal de perigo dos leões da Serra, que aos 21' de jogo chegariam ao golo por intermédio de Anky, que aproveitou da melhor forma um pontapé de canto, na esquerda e apareceu ao 2º poste a desviar a bola para o fundo da baliza do desamparado Carlos Soares.

O Benfica e Castelo Branco tentava reagir, mas a maior dinâmica do meio campo Serrano ia impedindo que a formação Albicastrense criasse perigo. Aos 34', lance polémico na area do Sporting da Covilhã, com Ricardo Viola a cair na area de rigor, e com todo o banco do Benfica a pedir Penalty, mas Rui Soares nada assinalou e mandou prosseguir o jogo. No seguimento deste lance e enquanto os homens do Benfica ainda protestavam o Covilhã desenhou um contra ataque rápido e isolou Gomes que na cara de Soares aproveitou para fazer o 0-2 para o Covilhã. Um lance muito contestato no campo, em que eu tambem fiquei com a sensação que teria existido motivo para grande penalidade favoravel ao Benfica e Castelo Branco. Mas, já no final António Jesus que estava bem colocado foi o próprio a assumir que o lance foi legal, e assim sendo a decisão do árbitro terá sido correcta. O Benfica e Castelo Branco via-se a perder por 2 bolas a zero no seu terreno, e foi em busca do prejuizo. Ao minuto 42, Bruno Goncalves desviou de cabeça um cruzamento de Milton, proporcionando a Igor Araujo a defesa da Tarde. Com esta defesa absolutamente fantástica o guardião Serrano permitiu ao Covilhã ir para os balnearios com uma vantagem de dois golos.

Para a segunda parte António Jesus deixou no Balneário Celio e Tomás e lancou Daniel Fernandes e João Peixe, mas o Sporting da Covilhã controlou sempre a partida, não permitindo aos comandados de António Jesus chegar com perigo a sua área. E se a tarefa dos Albicastrenses já não estava fácil, ficou ainda mais complicada quando ao minuto 68, ficou reduzida a 10 unidades por duplo amarelo a Miguel Vaz. Até ao final da partida já só deu Covilhã, e o terceiro golo surgiu naturalmente ao minuto 75 por intermédio de Fabricio que em jogada individual veio da esquerda do seu ataque até a entrada da área, onde desferiu um potente remate que Soares não consegiu defender.

Um resultado que se aceita, pela coesão apresentada pelo Sporting da Covilhã, e que a jogar desta forma, é mesmo candidato a subida.

Rui Soares e seus pares realizaram um trabalho aceitável.

 

 

  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados