RCB/TuneIn
Domingo, 16 Dez 2018
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
“PENSAMENTO DIVERGENTE E INOVAÇÃO”
Rádio Cova da Beira
Foi o tema do primeiro de um ciclo de colóquios que a ACIF promove esta semana para assinalar os 90 anos da instituição. Divergente no discurso, Pedro Guedes de Carvalho pediu inovação na acção.
Por Paula Brito em 26 de Nov de 2014

O investigador e presidente da faculdade de Ciências Sociais e Humanas da UBI deixou um exemplo de como a inovação “que não tem que ser apenas nas novas tecnologias” pode resolver os problemas locais como o da falta de dignidade nos lares da região “e deixar de ter os velhinhos lá sentados, à espera da hora da pastilha, da hora de descansar, da hora de dormir, isto para mim não é vida, nós temos que fazer muito mais e inovar a este nível e ter as pessoas com dignidade nos sítios onde estão e há muito a fazer, muita profissão para inventar, muito dinheiro que tem que se gastar para aquilo se transformar numa coisa digna”.

Pedro Guedes de Carvalho deixou o sector têxtil como um exemplo a seguir: apesar da redução drástica de número de postos de trabalho nesta área, de 11 mil para 2.500 trabalhadores, o têxtil é hoje “o sector com maior valor acrescentado da Cova da Beira que dispõe da tecnologia mais avançada do mundo nesta área”. Uma realidade que é preciso replicar noutros sectores.

Um dos problemas dos empresários e da região tem sido precisamente a divergência, ou neste caso a falta dela “se dá dinheiro vamos todos para lá, e esquecem que quando vamos todos para lá os preços descem, apostamos tudo no mesmo cavalo quando havia mais cavalos para apostar, uma região, um município, é exactamente a mesma coisa.

Outro dos problemas elencados pelo investigador tem ver com os fundos europeus e como eles ditaram nas últimas décadas a acção da região e do país “o nosso problema foi que nós nos centrámos nos fundos europeus e são eles que nos dizem o que devemos fazer, e nós andámos numa roda viva nacional, regional e local”.

No final, deixou o apelo que reitera em todas as suas intervenções públicas “vou repisar o conselho com que eu termino todas as minhas palestras, nós temos que deixar de olhar para o umbigo, eu engordei para deixar de olhar para o meu umbigo, pode ser que olhando para o lado veja alguém que tenha um feitio de corpo que se adapte ao meu e que a gente possa trabalhar em conjunto”, brincou Pedro Guedes de Carvalho. 


  Redes Sociais   Facebook

2007—2018 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados