RCB/TuneIn
Quinta, 22 Out 2020
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
ELEIÇÕES NA SANICOBE VÃO SER IMPUGNADAS
Rádio Cova da Beira
O acto eleitoral, que reelegeu Lourenço Proença na liderança da associação de defesa sanitária da Cova da Beira, ficou marcado pela polémica uma vez que se apresentou uma segunda lista mas que acabou por não ser admitida a sufrágio devido ao facto de o candidato a presidente da direcção, Pedro Fiadeiro, não ser sócio efectivo da Sanicobe.
Por Nuno Miguel em 27 de Oct de 2014

Vítor Fernandes, representante da lista B nestas eleições garante que não foi recebido qualquer contacto para corrigir qualquer alegada irregularidade e como tal os elementos vão avançar para a impugnação “nós vamos impugnar de imediato o acto eleitoral porque não fomos avisados oficialmente de a nossa lista não reunir todas as condições; eu pedi dois esclarecimentos por escrito e não obtive qualquer resposta e depois viemos a saber pela comunicação social que a lista não tinha sido aceite”.

Já com a assembleia geral a decorrer, Vítor Fernandes entregou um voto de protesto que não foi aceite pelo presidente da mesa, apresentou ainda um pedido formal para que pudesse encabeçar a lista B “o protesto baseou-se no facto de a convocatória não dizer o local de realização do acto eleitoral e por isso pretendíamos parar a assembleia tal como diz a lei e entretanto também um outro requerimento para que pudesse ser eu o cabeça de lista que não foi lido nem votado”.

Várias dezenas de associados acabaram por abandonar a sala em sinal de protesto pela decisão e acabaram por não exercer o seu direito de voto. Vítor Fernandes não poupa nas críticas ao comportamento do presidente da assembleia geral “o presidente ao ver o que se passou nesta assembleia em que mais de metade dos sócios saíram para a rua só lhe restava uma coisa; era pedir a demissão do cargo e voltar a recandidatar-se porque aquilo que se passou foi uma falta de respeito a todos os sócios”.

O representante da lista B deixou ainda uma outra certeza “se as eleições forem impugnadas eu serei um dos candidatos a pedido dos sócios todos que estão cá fora; quanto ao Dr. Pedro iremos rever a situação e se ele puder também irá fazer parte da lista mas eu irei assumir uma candidatura”.

Vítor Fernandes garante que a sua eventual candidatura não é contra ninguém mas sim em defesa dos agricultores “há muitas coisas que tem que mudar; por exemplo eu ainda ontem fui descarregar a Oliveira do Hospital e paguei dois euros e meio pela desinfecção de uma carrinha e se vier aqui à Sanicobe pago 16 euros, as guias aqui custam um euro e eu compro-as a 50 cêntimos; desde que acabou o leilão eu nunca mais vim a esta casa e vim agora a pedido de vários sócios porque o actual presidente fez um bom trabalho mas agora não está a fazê-lo e por isso esta lista não é para concorrer contra ninguém mas sim para melhorar, remodelar e apoiar os agricultores que é isso que eles precisam”.

No final do acto eleitoral, o presidente da assembleia geral garante que está de consciência tranquila e garante que cumpriu todos os pressupostos legais. Manuel Raposo garante que a decisão de não aceitar a lista B só foi tomada depois de conhecido um parecer jurídico emitido pelos serviços da Confagri sobre esta matéria e refere que no processo de consulta de actas foi possível concluir que Pedro Fiadeiro efectuou um trabalho meritório enquanto veterinário da associação de defesa sanitária da Cova da Beira e foi proposto para sócio honorário numa reunião magna na década de 80 “no final dessa acta o presidente propõe-o para sócio honorário e eu aqui estremeci porque pensei que a situação estava conforme só que os estatutos não contemplam a figura do sócio honorário e dai eu pedi um parecer jurídico e que foi a explicação que eu transmiti, se fosse sócio efectivo podia ser candidato porque o título de sócio honorário reflecte apenas uma situação honorífica”.

Manuel Raposo garante que está de consciência tranquila e não teme uma eventual impugnação das eleições “façam o que quiserem, podem impugnar à vontade; os elementos da lista B pediram uma listagem de associados e foi-lhes facultada e não podiam ter lá descoberto o nome do Dr. Pedro Fiadeiro porque ele não esta na listagem dos nossos mais de 3500 sócios; atiraram a batata quente para as mãos do presidente da assembleia mas eu penso que actuei conforme a legalidade”.

Polémica à parte, Lourenço Proença vai continuar a presidir à direcção da Sanicobe e no final do acto eleitoral já apresentou as primeiras prioridades a concretizar no mandato: A primeira medida vai passar pela convocação de uma assembleia geral extraordinária para analisar com os sócios o plano de investimentos e os projectos a concretizar durante o mandato. Há no entanto a garantia de que alguns dos serviços prestados aos associados vão ter preços mais baratos a partir do dia um de Janeiro “o preço das tabelas na serologia vai ter uma redução de 20 cêntimos por cada ovelha e cabra e menos um euro nos bovinos; já no ano passado a tabela desceu bastante e este ano fizemos contas e chegámos à conclusão que era possível diminuir ainda mais”.

A reabertura do parque de leilão de gado é outro dos projectos que a direcção espera concretizar e tem desenvolvido contactos com a “Ovibeira” nesse sentido. No entanto Lourenço Proença garante que a sua concretização não depende apenas da Sanicobe “essa é uma questão que depende de muita gente, nós temos boa vontade, eles também tem, mas é preciso efectivos para isso e esses efectivos não existem uma vez que há compromissos com grandes cadeias e a partir da altura em que os vitelos são inscritos à nascença não podem ser retirados; neste momento há alguns produtores que vão para Portalegre e o pouco que há poderia aqui ser mantido nas mesmas condições porque senão não temos gado para ir a leilão nenhum”

Sobre a polémica a propósito da não admissão de uma das listas, Lourenço Proença é parco em palavras mas garante que a situação não vai afectar o funcionamento normal da organização “estou absolutamente tranquilo; apenas digo que esta casa tem um grande problema que é ter dinheiro a mais e neste momento tem mais de 500 mil euros a prazo”.

Dos 208 associados que marcaram presença neste acto eleitoral apenas 98 exerceram o seu direito de voto. Do universo de votantes, 82 votaram “sim” na lista que se apresentou a sufrágio, havendo ainda a registar 13 votos em branco e três que não votaram. No que respeita à constituição dos restantes órgãos sociais, Manuel Silva Raposo preside à mesa da assembleia geral e José Frederico Pimentel ao conselho fiscal.  

  Redes Sociais   Facebook

2007—2020 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados