RCB/TuneIn
Segunda, 08 Mar 2021
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POL�TICA
“NÃO HÁ NADA PIOR DO QUE QUERER VIVER NA MENTIRA”
Rádio Cova da Beira
Manuel Frexes garante que tudo vai fazer para dissolver a comunidade intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela e unir todos os concelhos do distrito de Castelo Branco numa só entidade sem quaisquer agregações com entidades alheias.
Por Nuno Miguel em 17 de Oct de 2014

Outras da categoria:

O presidente da distrital do PSD considera que o modelo que foi implementado para a reorganização administrativa do território não faz qualquer sentido “não faz sentido nenhum o norte do distrito de Castelo Branco ter vindo para a Guarda uma vez que a Guarda não ganhou nada com isso e ao mesmo tempo o distrito de Castelo Branco perdeu; também não acho bem que a zona do pinhal, que tem uma identidade muito forte e marcada tenha sido dividida ao meio com dois concelhos a rumarem ao médio tejo e por tudo isso é preciso ganhar forças e depois eventualmente nos juntarmos, agora retalhar um para o outro estar um bocadinho melhor não é um modelo”.

Até porque, acrescenta Manuel Frexes, o distrito de Castelo Branco foi o único que ficou a perder com este modelo “com o acoplamento da Covilhã e do Fundão a Guarda não ganhou nada porque não se podem fazer neste processo fusões artificiais e isso não funciona; ganhamos todos se todos formos fortes e não ganha nenhum se porventura quiser viver à custa da fraqueza dos outros”.

O presidente da distrital do PSD de Castelo Branco acrescenta que os primeiros meses de funcionamento da CIM, actualmente presidida por Vítor Pereira, já vieram confirmar as reservas que sempre exprimiu em torno deste processo “acham bem que em que haja uma situação em que combinam uma presidência rotativa e que depois quem está no exercício de funções afirme que a outra parte não se portou bem, não foi leal e que o que foi combinado afinal não se vai concretizar?” interroga. O antigo presidente da câmara do Fundão acrescenta que “isto retira credibilidade e é por isso que não andamos e a CIM não pode estar unida quando existem estas divisões; é tudo aparência e virtual e não há nada pior que querer viver na mentira”

Manuel Frexes mostra-se assim determinado em reorganizar o modelo das comunidades intermunicipais que está em vigor no interior e espera mobilizar os autarcas para o ajudarem nessa tarefa “os protagonistas que nós temos aqui são os nossos presidentes de câmara, que são aqueles que representam as populações e que tem especiais responsabilidades e nós temos de os persuadir a fazer essa caminhada; há muitos que acreditam nisso, há outros que acreditam mas ainda não chegou o momento oportuno para o revelarem e espero que a pouco e pouco seja possível caminhar no sentido de unirmos forças e não tentarmos passar rasteiras uns aos outros”.

 


  Redes Sociais   Facebook

2007—2021 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados