RCB/TuneIn
Sexta, 24 Nov 2017
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POL√ćTICA
MINISTRO DIZ QUE A CULPA FOI DOS SINDICATOS
O ministro da administração interna disse hoje no Parlamento que o pré-aviso, para a organização do cordão humano que recebeu o Primeiro Ministro na Covilhã, no passado dia 9 de Outubro, chegou com um atraso de dois dias. Rui Pereira sustentou que a Governadora Civil de Castelo Branco nada teve a ver com o episódio.
Por Paulo Pinheiro em 16 de Oct de 2007

O minitro da administração interna foi à comissão parlamentar dos assuntos constitucionais, direitos, liberdades e garantias prestar esclarecimentos sobre a deslocação de dois agentes da PSP à sede do sindicato de professores da região centro na Covilhã. Rui Pereira defendeu que se os promotores da manifestação " tivessem cumprido o prazo legal, a polícia saberia através da autoridade administrativa e poderia organizar tudo". Questionado pelos partidos da oposição, o ministro não explicou porque é que o relatório da inspecção geral da administração interna(IGAI) não faz referência à opinião expressa pelo governante. Em relação à posição da governadora civil do distrito de Castelo Branco, para quem a acção da PSP foi normal e habitual, Rui Pereira afirmou que "o papel da govenadora civil foi nenhum. Limitou-se, não a falar sobre factos que estavam a ser apurados num processo de averiguações, a dizer que não tinha indícios de uma actuação irregular ou ilícita da PSP". Explicações que não convenceram a oposição que considerou o relatório inadmissível. 

Os sindicatos de professores da Fenprof pretendem reunir, com urgência, com José Sócrates. A solicitação, é feita numa carta enviada ao Primeiro Ministro, surge na sequência do incidente ocoorido na semana passada na Covilhã. As estruturas sindicais dos docentes consideram que em trinta e três anos de democracia  " o direito à liberdade de expressão e de representação nunca esteve tão ameaçado".


  Redes Sociais   Facebook

2007—2017 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados