RCB/TuneIn
Segunda, 22 Jul 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
DESPORTO
LIGA PIORNOS - ALCAINS GANHA AO CAIR DO PANO.
O Alcains venceu mais uma partida no per?odo de descontos, mas para quem assistiu ao desafio facilmente percebe a raz?o pela qual os comandados de Andria?a conseguem somar pontos, quando j? ningu?m acredita... muito querer, muita garra e acima de tudo muita vontade de vencer.
Por Rui Fazenda em 26 de Apr de 2009

O jogo começou com um Alcains a dominar a partida, criando perigo logo aos 2 minutos por intermédio de Khonné, que rematou descaído para a direita valendo ao Fundão o corte providencial de Yago. Respondeu o Fundão aos 10 minutos por João Paulo que, com um remate forte, obrigou Beirão a aplicar se.

Estava melhor o Alcains e o golo surgiu com naturalidade, aos 11 minutos, por intermédio de Ricardo Costa que concluiu uma boa jogada do inevitável Khonné  que cruzou na direita. Miguel intrometeu-se no meio dos centrais do Fundão que deixaram escapar a bola para o segundo poste onde apareceu Ricardo Costa a facturar. No minuto seguinte o Alcains teve a oportunidade de praticamente sentenciar a partida, Luciano cortou a bola com a mão, na área de rigor, e Carlos Silva, o árbitro, bem colocado, não teve dúvidas em assinalar a grande penalidade. Vieira na conversão atirou fraco e ao lado da baliza de Tiago, desperdiçando uma oportunidade de ouro para colocar a sua equipa com uma vantagem confortável. Nestas coisas do Futebol já se sabe, quando se desperdiçam oportunidades destas  normalmente  sofre-se.   Foi o que aconteceu, aos 16 minutos,. Iero correu pelo seu corredor, foi a linha, cruzou atrasado onde apareceu João Paulo como uma flecha a rematar para o fundo da baliza Alcainense. Estava restabelecida a igualdade. Mas o jogo estava electrizante, com as duas equipas mais preocupadas com as tarefas ofensivas do que com as suas missões defensivas, desse modo,  aos 18 minutos,  Ricardo Costa, de cabeça, atirou à barra da baliza de Tiago Ramos. O Fundão,  a empatar a uma bola no terreno do líder, ganhou confiança e começou a praticar um futebol de grande qualidade, com a equipa a circular bem a bola e a criar complicações ao jogo Alcainense. A formação de João Laia, criou perigo aos 25 e 27 minutos através de dois livres marcados por Óscar Menino e por Yago, que obrigaram Beirão a aplicar-se.

Aos 37 minutos, mais uma vez Khonné,  ganhou posição no lado esquerdo do ataque do Alcains, cruzou para o primeiro poste onde apareceu Ricardo Costa a dividir o remate com Luciano, lance de perigo que o central do Fundão conseguiu anular cedendo pontapé de canto, mas no qual Ricardo Costa ficou lesionado, sendo substituído ao intervalo por Dialló.

O intervalo surgia assim com um empate a uma bola, um resultado que espelhava o que se tinha passado nas quatro linhas.

O segundo tempo, mostrou um Fundão com uma entrada de leão, e logo aos 47 minutos Ricardo Morais cruzou para a área do Alcains e Fiúza antecipou-se a Esquivas e de cabeça fez o 1-2. Este resultado colocava o Alcains numa situação muito delicada, mas a formação de Andriaça "arregaçou as mangas" e foi em busca do prejuízo, Viera aos 49 minutos e Tiago Paulo aos 56 minutos, com remates de meia distância obrigaram Tiago Ramos a aplicar-se. O Alcains iria chegar ao empate à passagem do minuto 57, por intermédio de Dialló, que aproveitou um alívio deficiente de Luciano, a bola bateu nas pernas de Quinzinho e deixou Dialló isolado na cara de Tiago Ramos,  o Senegalês não se fez rogado e fez o tento do empate. Um lance em que os homens do Fundão reclamam posição irregular do atleta do Alcains, o lance desenrolou-se na baliza contrária ao lado onde a equipa de reportagem da RCB estava instalada, pelo que não podemos dizer se estaria ou não em posição irregular, no entanto no final do jogo em conversa com gentes do Fundão e Alcains a opinião era quase unânime, e Dialló estaria mesmo em posição irregular, de qualquer forma, na posição onde me encontro não posso em consciência analisar o lance.

Com o empate novamente a constar no marcador, esperava-se que o Alcains viesse à procura do 3º golo, mas as contas de Hugo Andriaça ficaram mais complicadas aos 70 minutos, quando Esquivas viu o segundo amarelo e o consequente Vermelho, deixando a sua equipa reduzida a 10 elementos. Pensava-se que o Fundão poderia tirar partido desta vantagem, pois era uma equipa que apresentava um futebol mais trabalhado e mais adulto e consistente que o Alcains. Mas aqui veio ao de cima a raça e o querer dos homens do Alcains que, mesmo reduzidos a 10 elementos, conseguiram encostar o Fundão à sua área, se bem que não tenham criado lances de grande perigo.

E foi já no 4 minuto, dos 6 de descontos, dados por Carlos Silva, que Dialló aproveitou um cruzamento na esquerda do seu ataque para aparecer solto na área do Fundão e de cabeça fez o 3-2 para a sua equipa. Um golo que levou os adeptos Alcainenses  à euforia.

O jogo terminou com a vitória do Alcains, podemos mesmo dizer que foi a vitória do querer e da raça, pois o Fundão praticou melhor futebol e mostrou no Trigueiros de Aragão que tem um plantel recheado de jovens que a continuarem assim vão chegar longe no Futebol. A jogar desta forma desde o inicio da temporada o Fundão seria um sério candidato ao titulo, e certamente estaria a complicar, e muito, as contas ao Alcains e Estreito.

Quanto ao trabalho de Carlos Silva, a confirmar-se a posição irregular de Dialló no golo do empate do Alcains, é um erro que influência o resultado, quanto ao resto do trabalho o árbitro esteve em bom plano, num jogo que não foi fácil de dirigir nem técnica nem disciplinarmente, mas Carlos Silva mostrou-se à altura dos acontecimentos.


  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados