RCB/TuneIn
Sexta, 10 Jul 2020
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
CULTURA
“A ARTE CONTEMPORÂNEA É PARA TODOS”
Rádio Cova da Beira
É um dos propósitos que “ContraDança” pretende atingir. A sétima edição do festival de dança e movimento contemporâneo, organizado pela ASTA, arranca a 10 de Outubro.
Por Paulo Pinheiro em 03 de Oct de 2014

Ao longo de três meses (Outubro a Dezembro), o festival ContraDança apresenta 18 espectáculos na Covilhã, Fundão e pela primeira vez em Belmonte

 

“Este ano estende-se a Belmonte depois de ter passado por Santa Maria da Feira, Castelo Branco, Fundão e Covilhã. Para além dos espectáculos, o evento tem como actividades complementares um “workshop” de teatro e uma exposição de uma artista galega que estará patente no Ecomuseu, em Belmonte”, explica Sérgio Novo, membro da organização.

Outra das novidades do festival é o espaço “ Chá com os artistas”, na qual a população é convidada a conhecer e a conversar com os artistas convidados.

De acordo com os promotores, o “ContraDança” é um festival que pretende ser o mais abrangente possível e lutar contra a ideia de que a arte contemporânea “é só para um grupo restrito de pessoas”.

A qualidade é uma das apostas do festival, que junta dança, música, teatro e performances e convida nomes como Vera Mantero, Miguel Pereira, Patrícia Portel, Teatro Praga e os emergentes João Costa Espinho e Flávio Rodrigues. Há ainda espaço para apresentações para a infância com a presença do Ballet Contemporâneo do Porto e a própria ASTA que apresenta a peça “Alice”. Teremos também companhias de França, Alemanha, Espanha e Portugal.

A Associação de Teatro e Outras Artes pretende que o festival continue a ser considerado como um “evento impar em toda a região centro”, tal como foi reconhecido pela Direcção Geral das Artes. O “ContraDança” tem um custo global de 67 mil euros.


  Redes Sociais   Facebook

2007—2020 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados