RCB/TuneIn
Sábado, 19 Out 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
PROPOSTAS APROVADAS
Rádio Cova da Beira
A santa casa da misericórdia da Covilhã vai candidatar-se ao fundo de reestruturação das IPSS lançado pelo governo até um valor máximo de 500 mil euros. A decisão foi tomada na última assembleia geral extraordinária da irmandade.
Por Nuno Miguel em 29 de Aug de 2014

Em declarações à RCB o provedor da instituição considera que a aprovação dessa candidatura é fundamental para que a instituição possa dar continuidade ao processo de reestruturação interna que tem vindo a desenvolver “para se fazer esta reestruturação é preciso algum dinheiro e por isso esta linha de crédito dada às IPSS é fundamental para darem formação aos funcionários uma vez que houve pessoas que foram movimentadas para outros espaços e com outras funções, é necessário algumas vezes adquirir equipamento para adaptar espaços; por isso a santa casa candidatou-se até um valor máximo de 500 mil euros, para pagar em quatro anos sem juros e estamos convencidos que o estado está atento e vai dar a esta casa, que tem graves problemas, o apoio necessário neste projecto”.  

Neto Freire acrescenta que também nesta assembleia geral a mesa administrativa foi mandatada para celebrar os acordos de reestruturação da dívida com duas instituições bancárias “houve alguns acordos que ainda foram celebrados pela comissão administrativa mas havia outros que os bancos só assinavam quando todos os órgãos estivessem constituídos; com esta autorização da assembleia vai ser possível assinar esses documentos no âmbito da reestruturação que temos vindo a desenvolver”.

Nesta assembleia geral os irmãos aprovaram também a celebração de dois contratos de comodato com a segurança social, tendo em vista a misericórdia assumir a gestão dos infantários “”Bolinha de Neve” e “O Meu Cantinho”. Neto Freire refere que tudo está a postos para que na próxima segunda-feira o ano lectivo arranque dentro da normalidade “estão reunidas todas as condições para esse feito; não houve qualquer despedimento uma vez que a segurança social, dentro das suas capacidades, colocou algumas pessoas noutras funções; o plano de actividades será o mesmo, todas as salas estão preparadas, as educadoras e auxiliares distribuídas e por isso na próxima segunda-feira acredito que as actividades vão começar dentro da normalidade”. 

  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados