RCB/TuneIn
Quinta, 19 Set 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
DESPORTO
C.D.ALCAINS-1 ?GUIAS DO MORADAL-1
Est? ao rubro a segunda fase da Liga Piornos! No encontro entre primeiro e segundo classificados com apenas um ponto a separ?-los, as expectativas n?o sa?ram defraudadas. Duas equipas em busca da vit?ria, bom futebol de parte a parte, fair-play e arbitragem a condizer. Que mais se poderia pedir num jogo de distrital? O empate acaba por se ajustar ao desenrolar do encontro e acaba por deixar tudo como antes, isto ?, com a decis?o a continuar dentro de momentos?
Por Jo√£o Perquilhas em 20 de Apr de 2009

Aos vinte segundos de jogo já Manuel Silva desviava com a pontinha dos dedos um cruzamento venenoso de Tiago Paulo junto do seu poste esquerdo! Na resposta imediata o Estreito mostrava ao que ia com o capitão David bem enquadrado com a baliza a rematar por cima da trave.

Estes lances catapultaram as equipas para um jogo disputado ao centímetro com jogadas de envolvência e rapidez de raciocínio só ao alcance de quem tem nas suas fileiras jogadores de elevada qualidade técnico/táctica. E tanto Andriaça como António Belo possuem jogadores capazes de, num momento de inspiração, fazer a diferença.

Com um futebol mais directo que o seu opositor, o Alcains procurava as costas da defensiva contrária para aí tentar fazer valer a rapidez ofensiva de Ricardo Costa e Khonné, mas a coesão existente no último reduto forasteiro, com Pira imperial a libero, anulava quase todas as investidas dos da casa. Por seu lado o Estreito tentava sair a jogar quer pelas alas quer por zonas mais centrais, mas verdade seja dita, sem importunar verdadeiramente o guarda-redes Beirão.

Fruto dessa postura o Alcains mostrou-se mais ameaçador em toda a primeira parte e se Ricardo Costa, lançado em profundidade por Tiago Paulo aos 23`, não conseguiu superar o acerto defensivo de Pira e Manuel Silva, voltou a não ser certeiro 15 minutos depois ao pentear o esférico com este a sair rente ao poste esquerdo do guardião do pinhal depois de uma arrancada decidida de Esquivas pelo corredor canhoto.

Para a segunda metade o Estreito surgiu mais forte em termos ofensivos e fruto talvez da batalha ganha a meio campo o ascendente que tinha pertencido ao Alcains nos primeiros 45 minutos mudou de dono. Com uma boa circulação de bola a toda a largura do terreno de jogo, os pupilos de António Belo forçavam os de Andriaça a defender mais e estes passaram então a procurar o contra-ataque rápido que contudo não surgia.

Beirão no 1º minuto da etapa complementar era posto à prova e desviou a tempo uma bola que Saturnino se aprestava para desviar para o fundo da baliza e alguns minutos depois o mesmo jogador estreitense cabeceava torto após solicitação de Pira. Ao minuto 63, naquela que foi uma das jogadas mais bonitas do desafio, o golo voltou a rondar a baliza dos locais. Valadas tabelou com Rui Paulo, ganhou metros, e depois com um passe magistral solicitou a intervenção de David que sem oposição acabou por cabecear para as mãos de Beirão. Grande perdida!

Era um Estreito autoritário que comandava as incidências da partida e que raramente permitia desassossego junto da sua baliza, excepção feita aos 81`quando Esquivas, portentoso na esquerda solicitou o remate de Carlitos que no entanto saiu torto.

O final da partida aproximava-se e cinco minutos de compensação foi o tempo que o árbitro Ricardo Alexandre achou por bem adicionar ao tempo útil de jogo. E as emoções estavam mesmo guardadas para esta ponta final!

Minuto 90+4: Pira bate livre da esquerda, Beirão defende a soco um primeiro cabeceamento forasteiro e Esteves remata de primeira para o fundo das redes. Era o delírio nas hostes do Estreito que passavam para o comando da Liga Piornos. Mas o jogo não tinha ainda acabado…

Minuto 90+8: Insistência atacante alcainense com cruzamento para a área, onde surgiu Ricardo Costa a desviar de cabeça para o fundo da baliza de Manuel Silva! Era o empate e o extravasar da alegria por parte dos jogadores canarinhos que conseguiam assim manter a liderança nesta interessante Liga Piornos.

A arbitragem de Ricardo Alexandre e seus pares foi sólida quer técnica quer disciplinarmente e só lhes registámos duas pequenas falhas no ajuizar de lances a meio campo. Quanto ao prolongar da partida no tempo de compensação atribuído, até entendemos o seu raciocínio…3 substituições neste período e ainda assistência a um jogador do Estreito após o golo de Esteves levaram-no a aditar mais uns minutitos que os estipulados anteriormente, pelo que …


  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados