RCB/TuneIn
Domingo, 21 Jul 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
DESPORTO
BENFICA E BRAGA NA FINAL
Rádio Cova da Beira
O Benfica e o Sporting de Braga, depois de terem derrotado as formações do Boa Esperança e Desportiva do Fundão, respetivamente, por 8-0 e 5-3, são os finalistas do 3º torneio de futsal Cidade de Castelo Branco.
Por José Joaquim Ribeiro em 24 de Aug de 2014

No primeiro jogo o Braga impôs-se à Desportiva, por 5-3, mas o resultado é exagerado tendo em conta os que se passou nos 40 minutos. É verdade que os bracarenses chegaram com relativa facilidade a 4-0, num aproveitamento muito eficaz de cinco minutos de desnorte dos fundanenses, mas na segunda parte a equipa de Pedro Henriques chegou à margem mínima e, quando jogava de 5x4 (guarda-redes avançado) podia ter chegado ao empate não fora  uma má decisão arbitral, que não marca uma falta clara sobre Mário Freitas, que daria lugar à marcação de um livre de 10 metros e que acabou por resultar no 5º golo do Braga.

 

A Desportiva do Fundão entrou muito forte na partida, conseguindo logo aos cinco minutos uma grande penalidade que Mário Freitas desperdiçou, rematando ao lado da baliza e três minutos depois é Pany a levar a bola a bater com estrondo na barra da baliza de Xot. Aos 12 minutos Fábio Salvado e logo a seguir Couto, obrigaram o guardião bracarense a duas intervenções de muita exigência. Entretanto, dos 14 aos 19 minutos a equipa entrou em desnorte, com falhas graves e que acabaram por resultar nos quatro golos do Sp.Braga. Aos 14’ o Guardião Xot subiu no terreno, criou um desequilíbrio ofensivo com uma paralela perfeita, a bola é colocada na zona de finalização onde apareceu Luís Paulo a empurrar para o fundo da baliza. No minuto seguinte, num remate cruzado e de meia distância o Braga, por intermédio de André Coelho fez o segundo, um remate que terá surpreendido Gonçalo Portugal.  O 3º, aos 17' resulta de um lance infeliz do capitão Couto, aproveitado por Amilcar e aos 19’ foi marcado o 4º golo, por Tiago Brito, num remate de meia distância mas com a bola a bater num defensor e a trair Gonçalo Portugal o guardião fundanense.

 

Na segunda parte o Braga manteve-se por cima do jogo e obrigou os jogadores fundanenses a cometerem as 5 faltas regulamentares nos primeiros  10 minutos de jogo. Foi só na segunda metade do segundo período de jogo que se notou que os fundanenses queriam mudar o rumo do jogo.  Aos 31’ reduziu por André Galvão, numa tabelinha perfeita com Mário Freitas e,  no minuto imediatamente a seguir o Teka esgueirou-se pela ala e à saída de Vítor Hugo colocou a bola no fundo das redes. Aos 33’ o Braga ficou reduzido a 4 unidades e nesse período os fundanense reduziram para 4-3, por Mário Freitas.

O Braga podia ter ampliado em duas ocasiões, em outros tantos livres de 10 metros que Gonçalo Portugal resolveu com defesas a remates de André Coelho e Fábio Cecilio. Mas o 5º golo dos bracarense acabou por acontecer, mas, como já foi referido, num lance muito mal ajuizado pelo árbitro Sérgio Mendes.

No computo geral o Braga mereceu chegar à final do torneio.

 

No segundo jogo o Benfica dominou em toda a linha. Venceu por 8-0, mas o score podia ter sido muito maior. O que se pode dizer é que a diferença de valor das duas equipas foi abissal. A formação do Bairro da Boa Esperança, que só tem cinco dias de trabalho, deu a luta que foi possível. Jogou sempre na sua meia quadra, por que a isso o obrigou a formação de Joel Rocha e os golos acabaram por acontecer com toda a naturalidade. Patias abriu o marcador, aos 7 minutos, Chaguinha, com um remate cruzado fez o 2-0 e Rui Mendes, num lance infeliz, ao introduzir a bola na sua baliza, colocou o Benfica a ganhar por 3-0. A equipa de Castelo Branco teve na primeira parte uma boa atitude tendo criado duas situações que mereciam melhor desfecho.

 

Na segunda parte acentuou-se ainda mais a superioridade dos encarnados com um jogo muito dinâmico e muitas ocasiões para marcar. Ré elevou para 4-0, aos 24’, Alan Brandi, aos 25’ fez o 5º, Bruno Pinto e Paulinho fizeram o 6º e 7º golo, aos 27 e 38’. O último tento da tarde não devia ter sido considerado. A bola foi jogada com a mão por um jogador do Benfica  sendo estranho que o árbitro Fábio Ramalhão, mesmo junto do lance, não tenha visto a infração.  Na sequência, Daniel Ascensão acabou por ser infeliz ao introduzir a bola na sua baliza, fixando o resultado em 8-0.

 

Para disputarem o 3º e 4º lugares do torneio vão jogar, pelas 16 horas o Bº da Boa Esperança e a Desportiva do Fundão. A final será entre Benfica e Braga, pelas 18 horas.


  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados