RCB/TuneIn
Quarta, 16 Out 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
DESPORTO
ELEIÇÕES ADIADAS
Rádio Cova da Beira
A assembleia geral eleitoral da associação desportiva da Estação está suspensa até ao próximo dia cinco de Setembro. A decisão foi tomada por unanimidade, ontem à noite, na reunião magna do clube onde o actual presidente da direcção não apresentou nenhuma lista candidata aos órgãos sociais.
Por Nuno Miguel em 29 de Jul de 2014

Uma decisão que Vítor Rebordão justifica com a necessidade de ainda efectuar alguns convites a elementos para integrarem a equipa directiva e que, até à data, não foi possível formalizar “tive de me ausentar do país por motivos profissionais e havia algumas pessoas que eu queria trazer para a ADE mas quero falar com todas elas pessoalmente e não tive tempo de o fazer antes da assembleia uma vez que regressei há pouco tempo; de qualquer forma vou agora falar com elas para apresentar a lista completa a todos os órgãos sociais no dia cinco de Setembro”.

Uma reunião magna que ficou marcada pela indignação manifestada pelo presidente da assembleia geral em relação às reservas manifestadas por José Pinto sobre o apoio da câmara da Covilhã à ADE. Recorde-se que o vereador da CDU considera que a atribuição dum valor de apoio mensal de quatro mil euros é o resultado da ausência duma verdadeira política de apoio às colectividades em que nem todas têm o mesmo tratamento.

Declarações que, de acordo com Luís Fiadeiro, colocam em causa a honra e a dignidade dos dirigentes do clube “ele é livre de dizer o que entende mas eu não admito nem ao vereador da CDU nem a quem quer que seja que ponha em causa a honorabilidade das pessoas que fazem parte dos órgãos sociais porque aqui as coisas são feitas com seriedade; naturalmente que este clube não tem a plenitude das virtudes mas terá sempre honestidade e trabalho”.

Também o presidente da direcção da ADE lamenta a postura seguida por José Pinto “lamento imenso porque até tinha o senhor como uma pessoa correcta e que tem conhecimento daquilo que o clube faz; não lhe admito que ponha em causa a seriedade das pessoas; eu também podia duvidar daquilo que ele fez enquanto foi presidente de junta e nunca o fiz nem vou fazer e ele não pode esquecer-se que é político e que tem responsabilidades como vereador”.

Vítor Rebordão considera mesmo que o vereador da CDU devia analisar o comportamento seguido por algumas câmaras municipais em que aquela força política detém o poder “por exemplo o presidente da câmara de Loures, que é do mesmo partido desse senhor, apoia instituições como a nossa. Porque é que a Covilhã não há-de apoiar ?”. interroga. “quando ele diz que não sabe se o subsídio é para as actividades ele está a ser mau porque tem a noção de quanto se gasta por mês para ter esta gente toda a trabalhar”.

  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados