RCB/TuneIn
Quinta, 03 Dez 2020
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POL�TICA
VALES DO RIO NÃO VOTOU
Rádio Cova da Beira
Os 717 eleitores registados na mesa eleitoral de Vales do Rio não exerceram o seu direito de voto nas eleições europeias deste domingo.
Por Nuno Miguel em 25 de May de 2014

Durante a noite as portas da escola, o local onde a urna deveria funcionar, foram fechados a cadeado e o presidente da mesa não teve outra alternativa senão a de requerer a presença das forças da autoridade. Cerca das 8:30 o acesso ao interior do recinto deixou de estar vedado mas os pais e encarregados de educação dos 14 alunos da escola do primeiro ciclo acompanhados de mais algumas dezenas de populares fizeram ouvir o seu protesto pelo eventual encerramento daquele estabelecimento de ensino e mantiveram-se concentrados à porta da escola.

Cerca das 11 da manhã o presidente da mesa decidiu comunicar à direcção geral da administração interna de que não havia condições para proceder ao acto eleitoral. Razões que Miguel Gaudêncio também explicou à RCB “o barulho é muito intenso e as condições no interior da sala, com o eco, tornam esse trabalho muito difícil e não há mesmo condições; para além disso também poderiam vir pessoas a votar e viam este aglomerado de pessoas à porta da escola e acabavam por se ir embora; eu realizei uma votação em conjunto com todos os delegados e decidimos não realizar a eleição”.

Marília Paulo, porta voz dos pais e encarregados de educação, espera que os responsáveis do ministério da educação sejam sensíveis à indignação que manifestaram “esperemos que quem tem que tomar essa decisão olhe à situação desta escola; ela tem condições para se manter aberta e que cumpram a palavra quando disseram que a escola só ia fechar quando fosse construído o centro escolar do Tortosendo, com todas as condições para as nossas crianças; foi o nosso governo que nos obrigou a isto porque estamos a abdicar do nosso direito de votar para mostrar a nossa posição”.

Já o presidente da junta da união de freguesias Peso/Vales do Rio, Rui Amaro, disse à RCB que compreende os motivos que levaram os eleitores a não ir às urnas “as pessoas mostraram que querem que na freguesia existam as condições necessárias para poderem aqui constituir família e as questões da educação e da saúde são fundamentais para isso; espero que as pessoas que estão em Lisboa saibam ler a constituição e vejam que no interior existem populações como a nossa onde residem mais de 1000 pessoas, uma freguesia muito industrializada, e elas precisam de condições para cá viverem”.

Com a última alteração que existiu à lei eleitoral, as eleições só serão repetidas, dentro de uma semana, caso o apuramento final de resultados não permita a eleição dos 21 eurodeputados Portugueses.


  Redes Sociais   Facebook

2007—2020 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados