RCB/TuneIn
Segunda, 06 Abr 2020
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POL�TICA
“UM CASO DE POLÍCIA”
Rádio Cova da Beira
A câmara municipal da Covilhã vai ter de devolver cerca de 700 mil euros ao Proder devido a verbas recebidas do actual quadro comunitário para a electrificação e requalificação de caminhos agrícolas mas que não foi gasto com essa finalidade.
Por Nuno Miguel em 23 de Feb de 2014

O actual presidente da autarquia quer apurar onde é que esse montante foi investido porque considera que as verbas foram indevidamente recebidas “a anterior câmara recebeu esse dinheiro através dum adiantamento e não os gastou onde devia ter gasto que era na electrificação e beneficiação de caminhos agrícolas; isto é um caso de polícia que terá que ser averiguado porque foram verbas recebidas de forma indevida”.

Para Vítor Pereira este é mais um exemplo do descalabro da anterior gestão da câmara municipal e tem de ser o actual executivo a fazer a reposição deste montante, no prazo de 30 dias, sob pena de a cobrança ser feita de forma coerciva “já fomos notificados de que existe esse prazo para proceder à reposição voluntária porque, se não o fizermos, esse montante será cobrado através de execução fiscal; vejam bem como é que se governava a câmara municipal e por isso quando se vem a público dizer a verdade alguém fica preocupado; receber adiantamentos para fazer coisas que não são feitas mostra bem a forma como as coisas andavam aqui encobertas; qualquer aluno da escola primária sabe governar uma câmara municipal assim”.


  Redes Sociais   Facebook

2007—2020 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados