RCB/TuneIn
Quarta, 13 Nov 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POLÍTICA
PSD COVILHÃ: CINCO MILITANTES ESCAPAM À EXPULSÃO
Rádio Cova da Beira
Apenas cinco militantes, dos 32 que integrava a lista da concelhia, não foram expulsos do Partido Social Democrata da Covilhã, na sequência das últimas eleições autárquicas.
Por Paulo Pinheiro em 21 de Feb de 2014

Carlos Pinto, ex-presidente da CMC, Luís Rodrigues (candidato na Boidobra), José Carlos dos Santos Sardinha (Peso /Vales do Rio), Sérgio Manuel Duarte Paulo (Peso/Vales do Rio) e João Esteves Freire (Ferro) continuam a ser militantes do PSD.

 

Nos últimos quatro casos, a decisão de não expulsão fica a dever-se ao facto de nas freguesias em que se apresentaram integrados em lista independente não existia candidatura do PSD, logo não concorreram contra o partido em que são filiados, entende o conselho de jurisdição daquele partido.

O mesmo não aconteceu a militantes como Rui Amaro, David Silva, Vítor Marques, Fausto Batista, Ricardo Abreu, Fernando Casteleira, Paulo Tourais Paulo Rosa, entre outros.

O PSD cessou a sua filiação por concorreram contra o partido nas autárquicas 2013. Ouvido pela RCB, o ex-vereador da CMC afirma que foi com normalidade que recebeu a decisão, embora um dia espere voltar ao PSD

“Quando decidi fazer parte de uma lista independente sabia que estava em contradição com os estatutos do partido. Não me revejo neste partido, quer na concelhia da Covilhã quer a nível nacional, e é com normalidade que aceito esta decisão. Não deixo de ser social-democrata e espero um dia regressar ao PSD, mas não ao actual”, refere Paulo Rosa.

Para o ex-autarca, o PSD, o da Covilhã e o nacional, não se preocupa com as pessoas, por isso não se revê neste tipo de actuação

“O PSD não está preocupado com aquilo que está a acontecer às pessoas. Estamos a empobrecer cada dia que passa, o fosso entre a riqueza e a pobreza é maior, temos um país onde não se consegue viver com o mínimo que as pessoas têm direito, por isso não podemos estar de acordo com isto”, explica o ex-vereador da autarquia covilhanense.

Questionado sobre os quatro meses e meio de gestão socialista à frente da CMC, Paulo Rosa mostra-se preocupado com as decisões tomadas:

“ Vejo com muita apreensão o que se está a passar. Neste últimos meses, as decisões que têm vindo a ser tomadas a nível local deixam antever que no futuro os covilhanenses vão ter muitos problemas para resolver. A Covilhã não está parada está  a dar passos largos à rectaguarda. Espero que as pessoas abram os olhos e se manifestem e acordem a tempo. Estamos numa situação muito preocupante”, conclui Paulo Rosa.

Quem também reagiu à decisão do conselho de jurisdição do PSD foi o líder da concelhia do Partido Social Democrata da Covilhã. Francisco Castelo Branco afirma que apesar da deliberação estar no sentido do entendimento da concelhia não é com satisfação que tomou conhecimento da deliberação

“Não é com uma grande felicidade que recebo a notícia porque gostaria que esta situação tivesse sido evitada.”, afirma aquele responsável.

Quanto aos militantes que não foram expulsos por não ter concorrido contra o PSD nas suas freguesias, o presidente da concelhia entende que o conselho de jurisdição podia ter ido mais longe

“Nós tínhamos outro entendimento. O conselho de jurisdição entendeu levar à letra os estatutos. Quanto ao resto está dentro das expectativas que tínhamos”, sustenta Francisco Castelo Branco.

PSD que vai estar em congresso nacional a partir desta sexta-feira até domingo. A Covilhã tem 3 delegados: Joaquim Matias, João Rosa de Almeida e Francisco Moreira.


  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados