RCB/TuneIn
Terça, 02 Mar 2021
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
CULTURA
NOVO LIVRO DE ANTONIETA GARCIA
Rádio Cova da Beira
“A comunidade judaica da Covilhã: descobertas e inquisição”. É este o título da mais recente obra da investigadora Maria Antonieta Garcia e que foi publicamente apresentada no salão nobre dos paços do concelho da câmara municipal.
Por Paulo Pinheiro & Nuno Miguel em 08 de Feb de 2014

 Um livro onde a historiadora apresenta alguns dos marcos mais importantes da presença judaica naquele concelho, sendo que alguns deles ainda são visíveis nos dias de hoje, como por exemplo várias casas construidas com terraços virados a oriente e que serviam como locais de oração. Maria Antonieta Garcia explica que “devido à presença judaica, a Covilhã ocupou durante os séculos 13 e 14 o oitavo lugar nos concelhos mais populosos do reino” e muitos dos judeus residentes naquela cidade eram detentores de privilégios especiais “muitos deles, por exemplo, tinham isenção de prestação de aposentadoria, ou seja, não eram obrigados a receber em sua casa as pessoas importantes que vinham de Lisboa tratar de qualquer assunto à Covilhã

Com a expulsão dos judeus de Espanha, e dada a proximidade das fronteiras, muitas famílias rumaram até à região, que nessa época registou uma explosão demográfica na ordem dos 60 por cento. No entanto, também o rei D. Manuel acabou por seguir esse exemplo, pretendendo conservar a aliança peninsular, e só na Covilhã foram instaurados mais de 600 processos. Antonieta Garcia sublinha que essa expulsão acabou por trazer várias consequências “foi então que partiu muito do saber e do poder económico e é nesta altura que fica em causa, e D. Manuel percebe isso, a persecução das viagens marítimas e ele tentou evitar que todos partissem e por isso forçou ao baptismo”.

A apresentação desta obra marcou também a integração da Covilhã na rede das judiarias de Portugal e o presidente da câmara municipal espera que esse passo permita um melhor aproveitamento das potencialidades turísticas do concelho naquela área “este passo que agora damos tem bases sólidas na herança deste concelho e a força motriz deste concelho tem aqui uma oportunidade para crescer e ter novas dinâmicas”. Quanto ao livro, Vítor Pereira entende que se trata de “um contributo muito importante para conhecer um dos aspectos mais importantes da história da Covilhã”.

Uma cerimónia que também contou com a presença da nova embaixadora de Israel em Portugal. Tzipora Rimon finalizou, com este acto, uma visita de três dias a vários concelhos do interior e considera que “é fundamental prosseguir os estudos sobre a presença judaica na região e encontrar formas de os preservar e divulgar; eu assumi funções no último verão mas posso garantir-vos que em breve vou regressar à região para ficar a conhecer outros dos pontos que aqui assinalam a presença judaica”.


  Redes Sociais   Facebook

2007—2021 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados