RCB/TuneIn
Terça, 10 Dez 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
PROJECTO SHE CHEGA AO FUNDÃO
Rádio Cova da Beira
Projecto SHE, acrónimo de Strong, HIV positive, Empowered, Women, chega ao Fundão através da Entrelaços. O projecto tem como objectivo ajudar as mulheres portadoras de HIV a lidar com a doença através da informação e da partilha de experiências.
Por Paula Brito em 24 de Jan de 2014

O projecto funciona com um grupo de mulheres anónimas que reúnem com uma formadora como explica a médica infecciologista, Rita Faísca "o projecto vai iniciar-se no Fundão quando houver mulheres que queiram participar, para isso podem falar comigo no hospital ou dirigir-se à Entrelaços e perguntar como poderão aderir, o projecto é dado por uma doente que tem a doença há anos, e depois nas sessões pretende-se fortalecer a mulher não só em conhecimentos sobre a doença mas também na partilha da experiência". 

Foi também através deste projecto She que Maria, nome fictício, conseguiu ultrapassar os problemas inerentes a uma doença que discrimina "realmente este projecto foi muito importante porque não só recolhi informação como também consegui partilhar e quando nós desabafamos é mais fácil falar com alguém que tem o mesmo que nós, ainda bem que eu fiz parte dos primeiros grupos do projecto e realmente aprendi imensa coisa, em primeiro lugar aprendi que não estou sozinha, que há outras mulheres à minha volta, dos 20 aos 70 anos que estão infectadas, no grupo em que eu participei a maior parte das mulheres foram todas infectadas como eu, nas relações heterosexuais. Maria contraiu a doença aos 15 anos, resultado da relação com o seu primeiro namorado. Hoje na casa dos 40 é casada, tem filhos e aprendeu a viver e a lutar contra o preconceito e a falta de informação que ainda hoje existe sobre o HIV "eu fui discriminada pela minha família, foi-me dado um prato de plástico, um copo de plástico e um saco para recolher a minha roupa, mas perdoo mais depressa uma pessoa que não tem formação ou informação, do que perdoo a um técnico de saúde como por exemplo eu estar numa urgência de obstetrícia e deixarem-me quase 5 horas com uma hemorragia e eu a ouvir dizer as enfermeiras que não iam internar a sidosa com as outras". 

Passadas três décadas pouco mudou no que ao preconceito diz respeito "eu sinto que os 30 anos passaram e que nada mudou ou que muito pouco mudou". 

Para ajudar as mulheres a ultrapassarem os problemas inerentes à doença o projecto SHE acaba de chegar ao Fundão para mulheres portadoras do vírus HIV a quem é assegurada a confidencialidade. 


  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados