RCB/TuneIn
Segunda, 22 Jul 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POLÍTICA
COVILHÃ: CANDIDATO DO PSD CRITICA OPÇÃO DA AUTARQUIA
Rádio Cova da Beira
Joaquim Matias revela que tem sido alvo de críticas no interior do PSD por defender que as obras de asfaltamento da estrada municipal 512 devem começar do lado da Barroca Grande e não do lado do Ourondo.
Por Nuno Miguel em 27 de Feb de 2013

O candidato social democrata à presidência da câmara da Covilhã foi à última assembleia de freguesia de Aldeia de São Francisco de Assis manifestar o seu apoio a essa pretensão e das populações. Para Joaquim Matias "é perfeitamente legitimo reivindicar que as obras devem começar por este lado e inclusivamente posso referir que já fui criticado pelo actual presidente de câmara por ter defendido, numa reunião do PSD que decorreu na semana passada essa posição". 

Joaquim Matias não tem dúvidas em considerar que o presidente da junta de freguesia de Aldeia de São Francisco de Assis, José Luís Campos, "está a ser prejudicado nesta situação por ser meu amigo"

No mesmo dia em que se deslocou ao couto mineiro, o candidato do PSD à câmara da Covilhã nas próximas autárquicas também percorreu a estrada entre a Ponte Pedrinha e Peraboa para fazer uma comparação entre os dois casos "por exemplo o presidente da junta de freguesia do Ferro não tem reivindicado a arranjo da estrada e isso valeu-lhe ser promovido ao cargo de chefe de gabinete do presidente da câmara".

O eleito do PSD na assembleia municipal refere que a opção da câmara da Covilhã, em começar as obras pelo lado do Ourondo, é um erro e lamenta o silêncio de autarcas de freguesias vizinhas como São Jorge da Beira e algumas do concelho de Pampilhosa da Serra em relação a este assunto.


  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados