RCB/TuneIn
Quinta, 19 Set 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POLÍTICA
CANDIDATURA INDEPENDENTE É UM “BLUFF”
Rádio Cova da Beira
A afirmação de Joaquim Matias em entrevista ao programa Flagrante Directo da RCB. O candidato do PSD não acredita na candidatura protagonizada por Pedro Farromba que acusa de não estar preparado para assumir as funções a que se propõe nas próximas autárquicas.
Por Paula Brito em 13 de Feb de 2013

Joaquim Matias não acredita que a candidatura de Pedro Farromba vá até ao fim “eu penso que esta candidatura não tem pernas para andar e se andar vai andar manca, eu acho que a candidatura independente é um bluff, é um engano”. Joaquim Matias deixa um exemplo da impreparação de Pedro Farromba para assumir a presidência da câmara da Covilhã “como é que é possível alguém não saber que estando oito numa reunião de câmara, saindo cinco, ficam três e não se pode deliberar, isto é básico”.

Sobre o actual estado da maioria na câmara da Covilhã, o candidato do PSD revê-se, tal como o partido, nos vereadores João Esgalhado e Pedro Silva “sinto neles as pessoas que representam o PSD na CMC porque nunca hostilizaram o partido e dentro dos vereadores a tempo inteiro, à excepção de uma pessoa que não é militante (Luís Barreirros), há três que sistematicamente criticam o partido, não tem havido respeito pelos militantes que fizeram uma escolha clara para os órgãos do partido”.

Em entrevista ao programa Flagrante Directo da RCB Joaquim Matias diz que os covilhanenses podem esperar  dele determinação, trabalho e presença “serei o primeiro a entrar na câmara da Covilhã e o último a sair, serei um presidente presente”.

A criação de emprego é uma das prioridades do candidato social democrata que questiona a utilidade e o trabalho que tem desenvolvido o parque de ciência e tecnologia da Covilhã “aquilo é para incubar ou para alugar?”.

Para além do emprego, a agricultura é outra prioridade do candidato “tenho dois engenheiros agrónomos a trabalhar comigo, vamos fixar os agricultores, tem que haver uma exposição de produtos pelo menos uma vez por mês...”,  a aproximação à Universidade da Beira Interior é outra das prioridades do projecto que candidato social democrata pretende apresentar aos covilhanenses.

Quanto à dívida “não me preocupa, é preciso apurar, avaliar, renegociar o que houver para renegociar e cumprir aquilo que prometemos a quem devemos”. O candidato está mais preocupado com os gastos que ainda possam ser feitos “espero que até fim do mandato não haja gastos que não sejam necessários” deixando como exemplo a opção da autarquia em relação à estrada Ourondo – Aldeia de S. Francisco de Assis.   

 


  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados